Reprodução/YouTube
Reprodução/YouTube

Tribunal ucraniano condena soldado russo à prisão perpétua por crimes de guerra

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nesta segunda-feira, 23, um tribunal ucraniano condenou um soldado russo à prisão perpétua por matar um civil desarmado. Este foi o primeiro julgamento por crime de guerra decorrente da invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro.O condenado foi Vadim Shishimarin, um comandante de tanque de 21 anos, que já havia se declarado culpado de matar Oleksandr Shelipov, de 62 anos, em uma aldeia ucraniana no dia 28 de fevereiro, após receber ordem para atirar.

Na decisão, o juiz Serhiy Agafonov disse que Shishimarin estava executando uma “ordem criminosa” dada por um militar de patente superior, tinha disparado vários tiros na cabeça da vítima com uma arma automática. Shishimarin, que usava uma blusa azul e cinza com capuz, assistiu aos procedimentos dentro de uma caixa de vidro reforçada na sala de audiências e não mostrou nenhuma emoção quando o veredito foi lido.

CONTINUE LENDO...

O julgamento possui grande significado simbólico para a Ucrânia, que acusou a Rússia de diversas ações de brutalidade contra civis durante a invasão e disse ter identificado mais de 10 mil possíveis crimes de guerra, embora a Rússia negue ter civis como alvo ou envolvimento em crimes de guerra.

Até o momento, o Kremlin não comentou imediatamente o veredito. Na última semana, informaram por meio de comunicado que não tinham informações sobre o julgamento e que a ausência de uma missão diplomática no país limitava sua capacidade de fornecer assistência.

Com informações da Agência Brasil

VER MAIS

VER MAIS