Cidade do Pará terá atenção redobrada para casos suspeitos de sarampo

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A partir deste sábado, 28, uma equipe de técnicos da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) estará se deslocando para Afuá, no extremo norte da ilha do Marajó, para executar, em parceria com o Amapá, medidas de interrupção da circulação do vírus do sarampo na região, com fortalecimento dos sistemas de Vigilância e Atenção à Saúde. 

As ações em Afuá começam na segunda-feira, 30, com capacitação de profissionais de saúde municipais para o protocolo de sarampo e reuniões entre equipes da Sespa e da Secretaria de Saúde de Afuá para definição do itinerário das buscas ativas por casos suspeitos e as barreiras vacinais, que seguirão de 31 de maio a 10 de junho. 

CONTINUE LENDO...

O Pará ainda não tem casos confirmados de sarampo este ano, mas em Afuá já há seis ocorrências ainda sob suspeita e em fase de investigação. Daí a necessidade da ida da equipe técnica ao município, uma vez que é intenso o fluxo de pessoas deste com o Amapá, o que contribui para a transmissão do sarampo, já que o estado vizinho enfrenta um surto da doença, com mais de 300 casos confirmados só em 2022.

Entre os objetivos das ações da Sespa em Afuá estão intensificar a vacinação contra o sarampo e realizar a busca ativa de casos suspeitos e respectivos contatos na área afetada do município, bem como envolver as equipes de Saúde da Família e serviços de saúde locais nas ações de notificação, investigação e bloqueio oportunos.

“Com a articulação com o Amapá, vamos atuar no desencadeamento dessas ações de vacinação, de cobertura da primeira e segunda dose da tríplice viral e investigação de casos suspeitos para conter o avanço da doença ao restante do Pará, fortalecendo as ações de vigilância para seguirmos com erradicação do sarampo”, explica Daniele Nunes, diretora de Vigilância em Saúde da Sespa, em exercício. 

A ação conjunta da Sespa também contará com  trabalho da vigilância sanitária, que montará barreiras sanitárias nos portos. “Por meio de abordagens com a população, vamos conscientizar quanto à importância da vacinação como medida eficaz de prevenção, pois precisamos agir de todas as formas para evitar que o vírus circule no município e as viagens são um ponto de risco, por isso essa decisão visa evitar possíveis contaminações”, explica a diretora de Vigilância Sanitária da Sespa, Milvea Carneiro.

VER MAIS

VER MAIS