José Cruz/Agência Brasil
José Cruz/Agência Brasil

PRF exonera diretor-executivo e chefe da inteligência após caso de homem morto em viatura

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nesta terça-feira, 31, o diretor-executivo da Polícia Rodoviária Federal, Jean Coelho, segundo na hierarquia da corporação, e o diretor de inteligência, Allan da Mota Rebello, foram exonerados. As dispensas foram publicadas na edição da manhã de hoje do Diário Oficial da União (DOU). Seus substitutos ainda não foram anunciados e a PRF ainda não explicou a causa da exoneração.

No dia 13 de maio, Coelho e Rabello haviam sido indicados para cargos nos Estados Unidos. Lá, os dois devem atuar como oficiais de ligação, em Washington, pelo período de dois anos. As funções eram tradicionalmente ocupadas por policiais federais, mas os policiais rodoviários federais também passaram a assumir esses cargos nos últimos anos, com a gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL).

CONTINUE LENDO...

Morte na viatura

Na semana passada, policiais rodoviários federais assassinaram um homem identificado como Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, durante uma abordagem em Umbaúba, no Sergipe. Eles prenderam Santos dentro de uma viatura e soltaram spray de pimenta e gás lacrimogêneo no veículo.

A causa da morte de Genivaldo apontada pelo Instituto Médico Legal (IML) de Sergipe foi asfixia e insuficiência respiratória. Três dias após a divulgação parcial da causa da morte de Genivaldo, a PRF alegou que não compactuava com as medidas adotadas pelos policiais durante a abordagem e citou “indignação” diante do ocorrido.

Com informações do G1

VER MAIS

VER MAIS