Segup realiza reunião para enfrentamento de roubos a bancos no Pará

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), promoveu na manhã desta quarta-feira, 1º, a primeira reunião do “Comitê Permanente de Enfrentamento às Ações Criminosas Contra Instituições Bancárias e Transportes de Valores”, no Centro Integrado de Comando e Controle, em Belém.

O encontro de abertura reuniu os integrantes do Comitê, que são especialistas membros dos órgãos do sistema de segurança pública (Sieds), que abordaram os eixos que conduzem a metodologia de ações a serem executadas, além do estabelecimento de grupos de trabalho, os quais vão atuar com ações específicas no plano de enfrentamento, assim como, foi estabelecido o cronograma para as próximas reuniões.A reunião do grupo foi conduzida pelo secretário adjunto de Inteligência e Análise Criminal, Delegado André Costa, que pontuou a importância da primeira reunião para traçar as diretrizes que vão ser trabalhadas para o plano estratégico.

CONTINUE LENDO...

“Diante das várias frentes a serem trabalhadas, estão os eixos de aquisição, comunicação, tecnologia, além dos planos de enfrentamento, contenção e acionamento. Então tudo o que está sendo construido no comitê, tem sido trabalhado pelos especialistas, dentro da atribuição de cada força, na qual elas podem propiciar ao Sistema de Segurança Pública, aprimoramento, avanço e principalmente o entendimento de roubos a banco no estado de Pará. Estamos aproveitando a oportunidade de estarmos há mais de um ano sem nenhum tipo de evento na modalidade novo cangaço no estado, trabalhando para que possamos ampliar as estratégias e caso venha ocorrer, possamos enfrentar da melhor maneira possível, evitando principalmente a perda de vidas e minimizando os efeitos para a comunidade local.”, enfatizou o Delegado André Costa.

Resultados

O Pará está há um ano e seis meses sem registrar roubos a bancos, na modalidade “novo cangaço”, sendo o último evento registrado no dia 1º de dezembro de 2020, segundo informações consolidadas pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), por meio da Siac. Esses resultados demonstram a eficiência nas ações desenvolvidas pelos órgãos do Sistema de segurança pública do estado que trabalham continuamente na integração de informações, aliada a estratégias de inteligência e investimento em tecnologias avançadas para alcançar indicadores positivos, como na redução total de eventos dessa natureza no território paraense.

Protocolos

Os primeiros passos estabelecidos pelo grupo de especialistas serão as padronizações, com criação de protocolos para acionamento, deslocamento, comunicação e de informações. “O fluxo de informações vai ser muito mais intensificado, a gente vai definir quais são os operadores que tem que atuar diretamente nas ações e principalmente passar as informações para os colegas das unidades mais avançadas, no interior principalmente, aquilo que não deve ser feito, por exemplo, um enfrentamento direto com um baixo número de efetivo, colocando em risco a sua vida ou a vida de terceiros inocentes, para que todas as nossas ações sejam exitosas”, concluiou o titular da Siac.

Comitê

O “Comitê Permanente de Enfrentamento às Ações Criminosas Contra Instituições Bancárias e Transportes de Valores”, foi instituido e apresentado durante a reunião do Comitê de Gestores de Segurança Pública (CIGESP), ocorrida no mês de fevereiro.

O comitê segue a metodologia com base em quatro principais eixos de ações que servem como base para determinar as estratégias e decisões deliberadas pelo grupo, dentre elas a normatização dos procedimentos operacionais padrão, onde as unidades de inteligência atuarão na prevenção dos eventos, bem como, no monitoramento das organizações criminosas. Outro eixo engloba também, os investimentos em tecnologia, comunicação e armamentos para o fortalecimento das atividades institucionais, e ainda na capacitação com a formação de cursos específicos para o aperfeiçoamento dos agentes que atuam nas unidades, tanto de inteligência quanto operacionais. As atividades servirão de base para a formação de um conteúdo permanente em torno de discussões, decisões e planejamentos desenvolvidos pelo comitê que é integrado pelos órgãos de Segurança Pública.

Com informações da Agência Pará.

VER MAIS

VER MAIS