Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará
Foto: Marcelo Seabra/Agência Pará

Pará gera mais de 8,6 mil postos de trabalho em 2022

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Pará apresentou,mais uma vez, resultados positivos na geração de empregos formais. Os dados se confirmam a partir do estudo divulgado nesta segunda-feira, 6, através do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE/PA). A pesquisa aponta que só no mês de Abril de 2022 o Estado do Pará gerou 4.500 postos de trabalhos, somado ao balanço acumulado do ano de 2022 (jan-abr), o Pará lidera a criação de empregos formais em todo o Norte e registra mais de 8.600 postos de trabalhos.

O Estudo é parte integrante do projeto do Observatório do Trabalho do Estado do Pará, parceria entre o DIEESE e o Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster).

CONTINUE LENDO...

“Muito importante nós estarmos mantendo, com saldo positivo, a nossa geração de novos empregos. Em relação aos últimos 12 meses, estamos com 58 mil novos postos, isso é resultado da reabertura de mercado pós pandemia, fruto também das atividades de trabalho que voltam à sua normalidade, além do número de vacinados em nosso estado ser significativo, o que também contribui e dar mais segurança nessa retomada. Nesse processo é visível a intervenção do governo do estado por meio de uma carteira de obras jamais vista. Estradas, escolas, creches, estádio em reforma, hospitais e tudo isso tem ajudado esses resultados e aumentado a geração de novos empregos. Além do incentivo ao consumo e o aquecimento da indústria. Continuamos trabalhando na manutenção destes números e na proposição de políticas públicas que contribuam com a qualificação profissional e consequentemente da empregabilidade”, destacou o titular da Seaster, Inocencio Gasparim. 

O aumento de novos empregos tem dado  destaque para os setores de serviço, comércio, agopecuária e indústria.

Kleberson Monteiro foi contratado este ano. Ele reforça a importância a legitimação dos direitos trabalhistas para a segurança, estabilidade e até mesmo na credibilidade para o empregado. “A diferença foi grande, pois quando eu estava trabalhando em uma frutaria as garantias eram nulas e a renda era muito imprevisível. Agora que eu estou em uma empresa privada, eu como cidadão estou tendo todos os meus direitos básicos sendo garantido. O pagamento do FGTS é de suma importância ao longo prazo, pois como já citado antes proporciona uma estabilidade no futuro para o trabalhador”. 

Fonte: Agência Pará

VER MAIS

VER MAIS