Marcos Santos/USP Imagens
Marcos Santos/USP Imagens

Salário inicial dos trabalhadores caiu R$ 183 em abril, diz Caged

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

De acordo com os último levantamento do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) embora o número de vagas ofertadas no mês de abril tenha aumentado o salário médio dos novos trabalhadores caiu R$ 183,36 em comparação com o mesmo mês de 2021, uma queda de 8,7% do rendimento de admissão em doze meses. A análise dos dados indica que o principal vilão da perda financeira é a inflação.

Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a taxa de desemprego atual, de 10,5%, ainda é muito alta, o que contrubui para a redução da oferta salarial. Ele explica também que a alta taxa de inflação degrada o aumento real do salário. De acordo com o Caged, o setor de Artes, Cultura, Esporte e Recreação foi o que teve a queda mais acentuada no salário inicial, passando de R$ 3.441,47 em abril de 2021, para R$ 2.808,40 em 2022, um recuo de 18,4% no rendimento de admissão.

CONTINUE LENDO...

“Esse cenário só se equilibra com crescimento econômico que estimule uma retomada mais forte do mercado de trabalho, e com uma redução da inflação. O salário geralmente tem uma negociação livre, entre patrão e empregado, como foi definido pela reforma trabalhista. Então agora há muito oferta de trabalhadores para pouca demanda de postos de trabalho.”, destaca o economista.

Ainda na análise setorial, o grupo de serviços domésticos teve a segunda maior queda no salário inicial, de 14,7%. Na comparação interanual, o ganho inicial desses trabalhadores passou de R$ 1.586,79 no ano passado para R$ 1.354,24 neste mês. Em seguida está o grupamento de atividades administrativas e serviços complementares, com redução real de 14,1%. A remuneração do setor passou de R$ 2.197,77, para R$ 1.888,85.

Com informações da CNN Brasil

VER MAIS

VER MAIS