Reprodução
Reprodução

Trio é preso acusado de abusar sexualmente de criança de 6 anos no Marajó

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Três homens da mesma família foram presos, nesta sexta-feira, 10, em Vila Estância, interior do município de São Sebastião da Boa Vista, no Marajó, acusados de praticar abuso sexual contra uma criança de apenas 6 anos, moradora da zona rural da região. Segundo a Polícia Civil, os criminosos serão transferidos para Belém, ainda nesta semana.

A Delegacia de Polícia do município tomou conhecimento do caso através de denúncias do Conselho Tutelar de São Sebastião da Boa Vista. Foi realizado pela polícia um cumprimento de mandato de prisão preventiva, e presos: Mizael Rodrigues Pereira, padrasto da vítima; Adonaide do Socorro Rodrigues, tio do padrasto; e Raimundo Maurício Ferreira, avô do padrasto. Os acusados irão responder por estrupo de vulnerável, sob pena de reclusão de 8 a 15 anos.

CONTINUE LENDO...

Segundo informações registradas na ocorrência, o padrasto, Mizael Rodrigues Pereira, se aproveitada do quadro de vulnerabilidade da criança, e a pretexto de ajudar a criança em suas tarefas escolares, pedia para que ela ficasse do seu lado e colocasse um vestido, momento em que praticava os atos libidinosos. Em outros momentos, ele falava para a criança tirar o short para dormir mais confortável e novamente praticava o estupro.

O tio de Mizael, Adonaide do Socorro Rodrigues, se aproveitava de ser a única pessoa da vila, que fiza em uma região de zona rural, cuja residência tinha um aparelho de TV para convencer a criança a se deitar com ele na rede e assistir televisão, momento em que cometia os abusos. Já o avô de Mizael, Raimundo Maurício Ferreira, oferecia bombons e dinheiro e nesse momento praticava os abusos.

O delegado Jorge Carvalho, que atendeu o caso, informou que os abusos sexuais aconteciam nos momentos em que a mãe estava fazendo tarefas domésticas. A criança apresentava um comportamento triste e vivia chorando, a mãe da menina estranhou, pois a criança não contava o que acontecia, porque o padrasto, ameaçava agredir a vítima, No entanto, após insistencia da mãe, a menina contou tudo. Em interrogatório, todos os acusados confirmaram a prática do crime, relatando com riquezas de detalhes e confessando a prática de estupro de vulnerável praticado contra a vítima.

A criança passa por atendimento psicológico e de assistência social por meio de uma unidade do ParáPaz no município de São Sebastião da Boa Vista.

VER MAIS

VER MAIS