Entenda como ocorre a pesca ilegal na região onde estavam Bruno Pereira e Dom Phillips

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

No Vale do Javari, região onde foram mortos o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Phillips, apenas a pesca para alimentação dos próprios pescadores e de suas famílias é autorizada.

Embora seja proibida, a pesca ilegal na terra indígena acontece em larga escala. A pesca comercial e predatória esgota os recursos dos quais os indígenas dependem para viver.

CONTINUE LENDO...

Os pescadores retiram ilegalmente toneladas de pirarucu e de piracatinga. Esse último tem sua captura e comércio proibidos no Brasil, não só por prejudicar a própria espécie, mas porque os pescadores matam botos e jacarés para usar como isca.

Sem mercado por aqui, a piracatinga é contrabandeada para a Colômbia, num esquema que supostamente lava dinheiro do tráfico e financia a entrada de drogas no Brasil.

Um documento mostra que a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) denunciou que Amarildo estava com um grupo de quatro ou cinco pessoas pescando no interior do Vale do Javari, próximo a aldeia Korubo, no dia 3 de abril.

De acordo com o documento, “eles estariam de canoa pequena, no lago do Bananeira, na margem direita do rio Ituí, pescando peixe liso e pirarucu”. O documento cita ainda que ‘Pelado’ é apontado como um dos autores de diversos atentados com arma de fogo contra a Base de Proteção da Funai entre 2018 e 2019 no Vale do Javari.

Com informações do G1

VER MAIS

VER MAIS