Divulgação/Funai e Reprodução Twitter/@domphillips
Divulgação/Funai e Reprodução Twitter/@domphillips

Polícia Federal busca novo suspeito nas mortes de Dom Phillips e Bruno Araújo

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Hoje, 17, a Polícia Federal informou, que busca por Jeferson da Silva Lima, também conhecido como “Pelado da Dinha”, que é mais um suspeito no caso das mortes do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira, na terra indígena Vale do Javari.

Segundo informações das Polícias Civil e Federal, buscas pelo suspeito estão sendo realizadas. Jefferson agora segue com o status de foragido. Ainda hoje, a Justiça Estadual de Atalaia do Norte emitiu um mandado de prisão contra ele.

CONTINUE LENDO...

“A PF e a PC continuam envidando esforços na localização e prisão do elemento foragido. Solicita, ainda, àquele que tiver alguma informação que possa contribuir com as buscas, que comunique as autoridades imediatamente”, informou a corporação através de uma nota. Mas, a PF não informou qual seria a participação dele no crime.

Duas pessoas foram presas após confessarem o crime: os irmãos Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pelado”, e Oseney da Costa de Oliveira, ou “Dos Santos”.

Sem mandantes

De acordo com a PF, as investigações sobre a morte do jornalista e do indigenista apontam indicativos da participação de mais pessoas nos assassinatos, porém, a corporação afirma que não houve mandantes, mas sim, que “os executores agiram sozinhos”.

Por outro lado, a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) contestou a versão da PF sobre não haver mandante. “O requinte de crueldade utilizado na prática do crime evidenciam que Pereira e Phillips estavam no caminho de uma poderosa organização criminosa que tentou a todo custo ocultar seus rastros durante a investigação”, frisou nesta sexta, através de nota, a Univaja.

Segundo a entidade, o posicionamento adotado pela Polícia Federal “desconsidera as informações qualificadas” oferecidas pela associação.

De acordo com a Univaja, desde o segundo semestre de 2021, ofícios mostram a existência de um grupo criminoso organizado atuando nas invasões da reserva do Vale do Javari.

Com informações do Metrópoles

VER MAIS

VER MAIS