Saiba quais são e como prevenir as doenças do Verão

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A combinação sol, areia, praia, piscina e excesso de suor podem elevar os riscos do desenvolvimento de algumas doenças. Veja quais são essas doenças e como tratá-las. 

Micoses

CONTINUE LENDO...

São infecções causadas por fungos e que podem ocorrer na pele, unhas e cabelos.  Quando encontram condições favoráveis ao seu crescimento, como calor, umidade e baixa de imunidade, estes fungos se reproduzem e passam então a causar a doença. Os pés, a virilha e as unhas são os lugares mais comuns em que elas aparecem, mas isso não significa que outras partes do corpo estejam imunes. A doença pode ocorrer em crianças, jovens, adultos e idosos. 

A melhor forma de evitá-las é manter hábitos de higiene. Um deles é secar-se bem após o banho, principalmente áreas de dobras da pele, como virilha, entre os dedos dos pés e axilas. Outro hábito é  evitar andar descalço em pisos constantemente úmidos (lava-pés, vestiários, saunas). Ainda é recomendado evitar calçados fechados, optando pelos mais largos e ventilados. Importante também é usar somente o seu material para manicure.

Dengue, zika e chikungunya

Os vírus responsáveis pelas doenças são transmitidos pela picada do mosquito Aedes aegypti. No verão, o calor e a umidade fazem com que o ciclo de reprodução deles seja mais curto. Por isso, há uma maior quantidade de insetos e, dessa forma, do número de casos de infecções causadas pelos vírus responsáveis pelos respectivos problemas. A melhor forma de prevenção é impedir a picada do mosquito. Para isso, podem ser usados repelentes, roupas que diminuem a área de exposição da pele, além da eliminação dos focos e criadouros das larvas dos insetos. Não deixe locais disponíveis para acúmulo de água, como pneus, pratos de plantas e lixo.

Hepatite A

Os alimentos e a água podem ser responsáveis por surtos da doença, que, além de diarreia e febre, pode deixar os olhos amarelados. No verão, período com temperaturas elevadas e em que também há eventuais quebras de rotina, o risco é maior, especialmente nas praias, onde o saneamento básico algumas vezes não comporta a chegada dos turistas da estação. A principal forma de prevenir a hepatite A é a vacina. Além disso, lavar as mãos e cuidados adequados na preparação da comida são fundamentais. E ficar de olho na qualidade da água, é claro.

Brotoejas

Essas pequenas bolinhas surgem, especialmente em bebês, devido ao contato da pele com o suor, principalmente nas “dobrinhas” da própria pele ou das roupas. Podem ser bolhas transparentes com pouca coceira ou “bolinhas” avermelhadas que coçam bastante. 

Usar roupas leves e evitar locais muito abafados são algumas dicas para evitar brotoejas, sobretudo em pessoas predispostas.

Manchas e sardas brancas 

As manchas representam danos que os raios solares causam na pele e aparecem gradativamente com o tempo, principalmente nas áreas expostas da pele. 

Já as manchas senis ou melanoses solares, em geral, são escuras, de coloração entre castanho e marrom. Surgem em áreas que ficam muito expostas ao sol, como a face, o dorso das mãos e dos braços, o colo e os ombros.

Já as sardas brancas aparecem quando há ação acumulativa da radiação solar sobre áreas de pele expostas ao sol de forma prolongada e repetida ao longo da vida. 

A melhor forma de evitá-las é não se esquecer do protetor solar. Essas lesões são benignas, não evoluem para o câncer da pele, entretanto, recomenda-se avaliação pelo dermatologista para diferenciá-las de lesões suspeitas, que merecem uma avaliação mais detalhada.

Acne solar

Ela é provocada pela mistura da oleosidade aumentada da pele, sudorese, uso do filtro solar e da própria radiação solar. Recomenda-se lavar o rosto com um sabonete adequado para o tipo de pele, usar tônicos mais adstringentes e filtros solares com base aquosa ou em gel, o que pode diminuir a oleosidade.

Com informações da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

VER MAIS

VER MAIS