Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Patrão paga pensão para libertar motoboy preso a caminho de delivery; homem era considerado foragido

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O chefe do entregador que foi preso em Ribeirão Preto (SP) a caminho de um delivery de sushis, Gilberto de Sousa Viana, afirmou ter pago parte da pensão alimentícia atrasada pelo funcionáio. Segundo Gilberto, o homem, que também é sushiman no restaurante, deve voltar ao trabalho assim que sair da cadeia.

O processo tramita na Justiça desde 2018. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) informou que ele era considerado foragido.

CONTINUE LENDO...

“A gente entrou com um advogado da empresa para ver o processo e fez esse encaminhamento todo. Já conseguiu pagar o acordo e o rapaz vai ser liberado até sexta-feira. Vai voltar pra gente aqui de novo”.

A história do entregador ganhou repercussão depois que a cliente que aguardava o pedido foi informada pelo restaurante sobre a prisão. “Seu pedido foi parar na delegacia”, escreveu o responsável pelo chat do restaurante em um aplicativo de entrega de comida. O print da conversa foi parar nas redes sociais e viralizou com mais de 300 mil curtidas.

Segundo Viana, o funcionário tem 30 anos e atua no restaurante como sushiman. Na terça-feira, 5, no entanto, o rapaz se propôs a ajudar nas entregas, por conta do número de pedidos que estavam chegando. O restaurante conta com quatro entregadores.

“Ele foi fazer uma entrega para ajudar a gente na hora da correria e aconteceu o que aconteceu. Estava com muito pedido, estava bem complicado [atender a todos]. Aí a gente estava mais tranquilo na parte interna do restaurante e pediu para ele fazer essa entrega pra gente”.

Quando passava de moto pela Rua Olavo Bilac, na Vila Seixas, o sushiman foi parado em uma fiscalização da Polícia Militar. Contra ele, havia um mandado de prisão por atraso de pensão alimentícia.

Ele foi encaminhado à cadeia de Santa Rosa de Viterbo (SP). O caso foi registrado como captura de procurado na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Ribeirão Preto. 

Situação viralizou nas redes sociais

Quem esperava o pedido levado pelo sushiman era a estudante de pedagogia Lívia Catarina Cerqueira Reschiliani. Ela publicou no Twitter a troca de mensagens com o restaurante.

Como o combinado de sushis estava demorando, ela cobrou um retorno e foi informada que o motoboy tinha sido preso no trajeto até a casa dela.

“Uma hora depois do pedido, fui cobrar e falaram que tinha saído, mas não chegou. O que era pra vir, foi pra delegacia. Esse perdeu. Espero que alguém tenha comido”, diz a estudante.

Mesmo com a confusão, o restaurante preparou novos sushis e enviou para a casa da jovem. Foi a primeira vez que Lívia pediu comida no estabelecimento e apesar do perrengue, ela pretende comprar de novo.

“Eu achei supergostosa a comida. Eles foram solícitos quando eu precisei ali”, diz.

Com informações do G1

VER MAIS

VER MAIS