Berlengas, a ilha portuguesa das cores e da biodiversidade

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Paraíso escondido no centro de Portugal, arquipélago é a primeira área protegida do país em uma riqueza biológica de valor inestimável

Uma ilha fantástica e bela escondida entre deformações arqueológicas. Essa é Berlengas, o arquipélago português que mais parece a uma ilha encantada, que conquista pelo visual impressionante, com o mar em tons de verde e grutas naturalmente coloridas.

CONTINUE LENDO...

Para chegar às Berlengas é preciso pegar um barco que sai da Marina de Peniche – em outro post dou detalhes de mais esse destino incrível -, de onde partem catamarãs e botes voadores. Isso mesmo, voadores, pois a viagem nesses infláveis oferece quase a mesma sensação de estar em uma montanha russa ou um simulador. Ou seja, é grito a viagem inteira. E, claro, dor na barriga de tanto rir. Tudo, claro, na mais completa segurança, já que na partida o viajante é obrigada a colocar o salva-vidas e uma capa corta-vento.

Na Marina de Peniche é possível comprar o bilhete de embarque para as Berlengas

As saídas do porto para a ilha acontecem todos os dias em dois horários: às 10h30 e às 14h30 e a viagem demora cerca de 30 minutos.

A travessia custa entre 15€ e 20€ – somente ida e volta – e mais 8€ para visitar as grutas, que, valem cada cêntimo, afinal, a vista é in-des-cri-tí-vel. E como se trata de de uma Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO, é ainda cobrado o valor de 3€ por pessoa como taxa de visitação. Vale dizer que o acesso diário se restringe a 550 pessoas, como forma de proteger o arquipélago.

Aventura do embarque ao desembarque

Beleza de suspirar. E se apaixonar!

A ilha é de respirar fundo e zero luxo. O único luxo é a beleza. Por isso, não espere restaurantes com estrelas Michelin ou bares com cadeiras de sol. A dica é levar seu lanche e bebida, além do saco para lixo, pois há dois restaurantes na ilha e os preços não são agradáveis. Maaaas, se você estiver disposto a pagar 5€ – 28 reais – em um copo de cerveja, vai lá. Boa sorte!

Visitar as grutas é quase uma obrigação

O que fazer?

Logo ao chegar à ilha, para quem optar pelo passeio às grutas, é necessário trocar de embarcação e sair rumo a um passeio de cerca de 30 minutos. Prepare a câmera e o fôlego, pois ali a natureza é generosa e os momentos que se vive por lá devem ser partilhados.

Grutas

Eu fiquei particularmente apaixonada pela Gruta Azul, onde a geologia deu uma ajudinha e formou uma gigantesca rocha, que, com a entrada das águas Atlântico, recebe, ora a luz do sol, ora sombra, provocando um efeito visual em vários tons de azul, que se refletem nas paredes da gruta.

Gruta Azul
Baleia em rochas, esculpida pelo mar do Atlântico
A impressionante Gruta Arco-íris, sem filtros, e colorida

Praia da Berlenga Grande

Além do passeio pelas grutas, é possível relaxar na praia da Berlenga Grande, a principal e mais procurada, apesar de curta em extensão, mas gigante em beleza. É onde as embarcações atracam paro desembarque e embarque dos visitantes na ilha.

Praia da Berlenga Grande

Mergulho

A fauna e a flora das Berlengas são um dos pontos altos do arquipélago, assim como a grandiosa vida marinha. Por isso, não deixe de mergulhar e conhecer uma das maiores áreas geológicas e ecológicas da Europa.

Forte de São João Baptista

Construído no século XVI para proteger a região contra ataques espanhóis, o Forte de São João Baptista continua, até hoje, como uma das mais emblemáticas construções portuguesas.

Forte de São João Baptista, onde também é possível pernoitar

Em 1914, o Forte deixou de ser utilizado para fins militares e hoje está lá, lindo e majestoso, pronto para ser visitado ou mesmo receber visitantes para pernoitar. Isso mesmo. É possível dormir no Forte. Mas, atenção, é necessário levar tudo, inclusivamente a roupa de cama. Por lá, é possível usar a cozinha, comum aos hóspedes, e, claro, reservar com muuuuuita antecedência diretamente com a Associação dos Amigos das Berlengas, através do e-mail berlengareservasforte@gmail.com. Quem for, avisa aqui para contar como foi a experiência, ok?

Fotos exclusivas com proibição de reprodução.

VER MAIS

VER MAIS