Reprodução
Reprodução

Empresa de bitcoin que deu golpe de R$ 1,2 milhão em Sasha faz mais vítimas

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A promessa de ganhar dinheiro de forma rápida, fácil e sem esforço por meio de aluguel de bitcoins e outros tipos de criptoativo tem atraído diversos investidores. Muitos deles, no entanto, estão sendo vítimas de golpes. Prova disso, é o caso da modelo Sasha Meneghel, seu marido, o cantor gospel João Figueiredo, e aos menos outras 350 pessoas que estão processando a empresa Rental Coins, de aluguel de bitcoins, nos Tribunais de Justiça do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. No Distrito Federal, há uma investigação da Polícia Civil com 35 vítimas.

O golpe envolvia o empresário Francisley Valdevino da Silva, o Francis Silva, conhecido como Sheik dos Bitcoins. Silva, que é dono da Rental Coins e consta como proprietário de mais de 130 empresas, já foi sócio do pastor Silas Malafaia em uma loja digital com foco no segmento evangélico.

CONTINUE LENDO...

O processo de Sasha corre em segredo de Justiça, no entanto, sabe-se que o casal investiu R$ 1,2 milhão no negócio e não obteve o retorno prometido. A ação pede reparação de danos morais e materiais pois, segundo os argumentos, a negociação teria sido feita envolvendo a confiança das vítimas.

A modelo teria conhecido o empresário em culto em uma igreja evangélica. Inicialmente, o casal teria investido R$ 50 mil e, após os retornos com o aluguel, fez aportes de mais de R$ 1 milhão. No entanto, como ocorre com muitas das vítimas, após um período, o aluguel deixa de ser pago. Com isso, em abril, o casal foi à Justiça contra Silva.

Para entender melhor

De acodo com especialistas, o aluguel de criptomoedas funciona como a locação de um imóvel e vem crescendo no Brasil. Há casos em que o negócio é confiável, mas muitos têm envolvido atuações fraudulentas, especialmente quando se trata de esquema de pirâmide, em que a empresa promete nível maior a quem investir mais no negócio, ou quando a empresa oferece o aluguel mesmo para quem ainda não tem nenhuma criptomoeda, mas pode investir quantias em dinheiro.

Com informações do Notícias ao Minuto

VER MAIS

VER MAIS