Universalização da educação superior deve se tornar realidade no Pará

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Com o objetivo de diminuir o déficit da educação superior no estado, em quatro anos de existência, o programa já mudou a perspectiva de vida de muitas pessoas e suas famílias, cerca de 5.500 estudantes atendidos pelo programa.

Coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), o “Forma Pará” conta com a parceria das Instituições de Ensino Superior (IES), das prefeituras municipais e das organizações da sociedade civil para ser realizado. Atualmente, estão abertos quatro editais para inscrições nas provas dos processos seletivos especiais que irão preencher 3.740 vagas em 74 municípios paraenses.

CONTINUE LENDO...

Em breve, um quinto edital será publicado com a oferta de mais 350 vagas, totalizando 4.090 vagas ofertadas na chamada que já diz respeito ao ano de 2023.

As inscrições podem ser feitas no portal da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), organizadora dos processos.A titular da Sectet, Edilza Fontes, explica que tal chamada concretiza a universalização do “Forma Pará” nos 144 municípios paraenses.“Este é um feito inédito no Brasil. Estamos levando cursos presenciais de bacharelado, licenciatura e tecnológicos a todos os municípios do estado”, ressalta Fontes. Ela explica que, para o curso chegar aos municípios ou distritos, as prefeituras ou organizações devem demandar à Secretaria, que então analisa a viabilidade da oferta de acordo com a vocação econômica local. A partir daí, há uma consulta sobre qual IES poderá ministrar o curso na região. Assinados os convênios institucionais, o Estado então financia a realização do curso que conta com a contrapartida das prefeituras em ofertarem os espaços para aulas, alimentação e hospedagem dos professores.

Edilza Fontes lembra que o programa foi lançado em 2019 e tinha como meta inicial a oferta de quatro mil vagas em quatro anos. “O programa cresceu e, no ano passado, virou lei, deixou de ser o programa de Governo para se tornar de Estado. Com as quatro primeiras chamadas já superamos a meta inicial, totalizando 5.562 vagas ofertadas de 2019 a 2022. Com a chamada da universalização, esta agora, mais que dobramos a meta e chegaremos a mais de 9.500 vagas em quatro anos. Agora vamos ofertar também as especializações. No primeiro credenciamento, já foram contemplados 103 municípios com 177 turmas. Isso tudo significa um investimento estadual de mais de R$ 265 milhões na educação superior”, enfatiza a titular da Sectet.

Serviço: O portal da Fadesp é www.portalfadesp.org.br. Nele podem ser feitas as inscrições para os processos seletivos especiais do Forma Pará de cursos que serão ministrados por Ufra, Unifesspa, Ufopa e Uepa.

Confira os cursos e municípios que estão com inscrições abertas até o dia 8 de agosto com prova no dia 21 de agosto:Ufra: Agronomia (Floresta do Araguaia, Sapucaia, Tomé-açu, Dom Eliseu e Abel Figueiredo); Enfermagem (Magalhães Barata e Inhangapi), Medicina Veterinária (Parauapebas), Ciências Contábeis (Anapu e Bujaru), Administração (São Domingos do Capim, Mãe do Rio e Aurora do Pará), Sistemas de Informação (Santa Isabel, Porto de Moz e São Miguel do Guamá), Engenharia Ambiental (Marapanim), Engenharia de Pesca (Colares), Engenharia Florestal (Quatipuru) e Letras/Português (Garrafão do Norte).Unifesspa: Química (Eldorado dos Carajás), Engenharia Civil (Água Azul do Norte, Bannach, Pau D’Arco, Sapucaia e São Domingos do Araguaia), Engenharia Elétrica (Palestina do Pará), História (Floresta do Araguaia), Pedagogia (Peixe-Boi, Placas e São João do Araguaia) e Arquitetura (Floresta do Araguaia).Ufopa: Licenciatura em Matemática (Faro), Engenharia Civil (Juruti), Engenharia Florestal (Mojuí dos Campos), Geografia (Oriximiná), Pedagogia (Trairão) e Ciências Biológicas (Uruará).

Confira os cursos e municípios que estão com inscrições abertas até o dia 6 de agosto com prova no dia 28 de agosto:Uepa: Biomedicina em Ananindeua, Cametá e Soure; Engenharia Ambiental em Aveiro, Igarapé-Miri e Nova Esperança do Piriá; Engenharia de Alimentos em Itaituba e São Caetano de Odivelas; Engenharia de Produção em Afuá e Medicilândia; Engenharia de Software em Concórdia do Pará, Curionópolis, Paragominas e Primavera; Engenharia Florestal em Curuá e Senador José Porfírio; Fisioterapia em Breves e São Geraldo do Araguaia; Gastronomia em Santarém; Ciências Biológicas em Vigia de Nazaré; Ciências Naturais em Brasil Novo; Educação Física em Capitão Poço, São Francisco do Pará e Terra Santa; Geografia em Jacareacanga e Santa Luzia do Pará; História em Altamira e Brejo Grande do Araguaia; Letras (Inglês) em Castanhal e Santa Bárbara do Pará; Letras (Português) em Chaves, Monte Alegre, Nova Timboteua e Santarém Novo; Matemática em Anajás; Pedagogia em Maracanã; Saúde Coletiva em Capanema e São João da Ponta; e Terapia Ocupacional em Marabá.

Fonte:Sectet

VER MAIS

VER MAIS