Foto: Yassin Doukhane/Pexels
Foto: Yassin Doukhane/Pexels

Beber água é tão prazeroso quanto fazer sexo, aponta estudo

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Você sabia que beber água, fazer sexo e comer um alimento gostoso podem estar relacionadas a um prazer comum? De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade da Califórnia, em São Francisco, essas três coisas podem proporcionar a liberação de dopamina em certas partes do cérebro, que nada mais é do que o neurotransmissor responsável pelo prazer. Sendo assim: a sensação de bem-estar e prazer após uma transa por exemplo, pode aparecer também, após tomar água, promovendo a hidratação.

A descoberta analisou a produção de dopamina logo após a ingestão de água em camundongos sedentos. Os resultados mostraram que uma certa parte do cérebro liberou dopamina.

CONTINUE LENDO...

O estudo

A pesquisa traz a restrição de água para camundongos sedentos que puderam acessar o líquido por cinco minutos, enquanto os pesquisadores analisavam as ondas que vinham da área tegmental ventral (VTA) no cérebro, como forma de medir se a dopamina está sendo produzida e em que proporção. No estudo, eles observaram que os níveis de produção de dopamina elevaram assim que os camundongos começaram a beber água e se hidrataram.

Ainda conforme os resultados obtidos, 10 minutos depois, os níveis de dopamina no cérebro dos animais aumentaram novamente, coincidindo com a quantidade de tempo que eles levaram para que a água que eles bebiam chegasse ao cérebro. O experimento foi repetido mas, com adição de sal na água. Nesse contexto, o aumento na dopamina foi muito menor por conta do impacto desidratante do sal.

Dopamina ajudando nas escolhas

Os pesquisadores descobriram que como a dopamina no segundo momento foi menor, eles disponibilizaram aos animais uma escolha de garrafas de água de cores diferentes. No momento em que os animais provaram da segunda garrafa, os cientistas injetaram uma pequena quantidade de sal em seu intestino. Após inúmeras sessões de treinamento, os pesquisadores identificaram que os camundongos passaram a preferir a água sem sal. Com isso, o estudo aponta que a produção de dopamina no VTA permite que os animais aprendam qual líquido beber ou qual comida comer, garantindo que eles recebam água suficiente.

Pesquisas anteriores

Estudos anteriores revelaram que algumas partes do cérebro são capazes de liberar dopamina, um composto químico, como meio de fornecer feedback prazeroso para outras partes do cérebro. A dopamina é liberada durante o sexo, por exemplo, ou quando uma pessoa come algo que gosta, principalmente em caso de alimentos doces ou gordurosos. A novidade, agora, é que cientistas encontraram a liberação de dopamina em outra parte do cérebro, agora quando a região está hidratada.

Com informações do Metrópoles

VER MAIS

VER MAIS