Foto Ricardo Stuckert / CBF
Foto Ricardo Stuckert / CBF

Chefe de arbitragem da CBF admite ‘erros absurdos e inaceitáveis’ no Brasileirão

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O chefe da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme, admitiu que aconteceram “erros absurdos” e “inaceitáveis” no primeiro turno do Brasileirão. A declaração do profissional, cabe destacar, aconteceu nesta terça-feira, durante uma apresentação no auditório da entidade para presidentes dos clubes das Séries A e B.

Dessa forma, Seneme se guiou no exemplo da Conmebol, entidade a qual era chefe de arbitragem, e garantiu que implementará mudanças. Além disso, ele afirmou que esta reunião com os mandatários dos clubes tem como objetivo ser um divisor de águas para a arbitragem brasileira.

CONTINUE LENDO...

“Eu, como presidente da comissão de arbitragem, assumo isso e lembro aos árbitros em toda a reunião que estamos no momento de divisão de águas, para prestar o melhor serviço a vocês. Ocorreram erros absurdos, sim. Muitos ocorrem. Inclusive, são inaceitáveis para vocês, para nós e para o futebol”, disse Seneme.

“Na Conmebol, esse período serviu como um divisor de águas. Essa reunião nossa aqui eu espero e tenho como objetivo que seja um divisor de águas também para a arbitragem brasileira. Os equívocos que ocorreram no primeiro turno, uns são de interpretação, que, com os árbitros afastados ou não, podem ocorrer. Outros são inaceitáveis e têm que servir como divisor de águas”, completou.

A entidade também anunciou que fará uma inter-temporada presencial entre o dia primeiro e cinco de agosto. Assim, 95 árbitros vão receber treinamento no Rio de Janeiro, em três sedes diferentes. Além disso, ainda acontecerão treinamentos práticos e presenciais mensais a partir de agosto.

Ademais, a CBF afirmou que reduzirá para 24 horas o prazo para a publicação das revisões dos vídeos com lances principais de cada jogo. Esta é uma promessa de media que valerá para a Série A. Já no caso da Série B, o prazo será de 48 horas.

VER MAIS

VER MAIS