Setransbel se manifesta sobre reivindicações de rodoviários da Monte Cristo: ‘ desequilíbrio financeiro’

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Sindicato das Empresas de Transporte de Belém (Setransbel) se manifestou nesta terça-feira, 26, sobre a greve dos rodoviários da empresa Viação Monte Cristo, que paralisaram as atividades na última segunda-feira, 25, em Belém. Os rodoviários alegam que estariam com salários atrasados, sem ticket alimentação e com férias atrasadas.

Segundo o Setransbel, a situação é causada pelo “desequilíbrio financeiro das empresas” que tem causado “escassez de recurso para cumprir os devidos pagamentos” .

CONTINUE LENDO...

“O Setransbel comunica que acompanha a paralisação dos funcionários da empresa Monte Cristo anunciada pelo Sintrebel, tendo em vista o atual cenário financeiro do sistema que mensalmente tem um prejuízo que ultrapassa os R$18 milhões. O desequilíbrio financeiro das empresas é provocado pela redução na tarifa técnica e tem impossibilitado honrar com os custos elevados do sistema de transporte”. A deficiência no setor vem sendo agravada e o reflexo é a escassez de recurso das empresas para cumprir os devidos pagamentos, em razão da falta de determinação das desonerações e subsídios previstos pela Prefeitura de Belém que iriam repor a tarifa técnica estabelecida em R$ 5,01 pela Semob, e aprovada pelo Conselho de Transporte.

Ainda de acordo com o sindicato, com essa situação, ações que poderiam melhorar a prestação do serviço, como a renovação da frota e qualidade acabam sendo impedidas.

“O Setransbel ressalta ainda que a redução do ICMS não beneficiou o preço do diesel, que permanece em 17%. O que não acompanha a inflação. No entanto, também devemos levar em consideração o aumento de vários itens da operação, como pneus, manutenção, salário, custo dos combustíveis, peças para manutenção dos veículos que se tornaram mais caras, e tudo isso tem sido pouco custeado por meio da tarifa de R$ 4,00 reais, que é insuficiente para a manutenção do sistema”.

Na manhã desta terça-feira, 26, após reunião com os empresários na tentativa de negociação, os rodoviários não aceitaram a proposta apresentada e continuaram com a paralisação, que não há previsão para ter fim. Uma nova tentativa de negociação é aguardada pela categoria.

VER MAIS

VER MAIS