Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Vídeo: Israel ataca Faixa de Gaza e mata líder do grupo radical Jihad Islâmica

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nesta sexta-feira, 5, Israel iniciou uma série de ataques à Faixa de Gaza depois de dias de tensão no local. Tayseer Jabari, líder da Jihad Islâmica, foi morto na operação, informou o grupo radical.

Jabari assumiu o comando do grupo em 2019, depois de Baha Abu al-Ata ser morto. Os ataques israelenses sucedem a prisão de outra das lideranças da Jihad, Bassam Saadi, na Cisjordânia, no início desta semana.

CONTINUE LENDO...

O Exército israelense informou que ao menos 15 pessoas morreram e que a operação, apelidada de “Amanhecer”, não terminou. O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, disse que entre os mortos está uma criança de 4 anos e que outras 44 ficaram feridas.

Horas mais tarde, Israel retomou os bombardeios contra alvos da Jihad Islâmica no território.

Em retaliação, a Jihad Islâmica afirmou ter disparado mais de 100 foguetes contra o território israelense, o que ativou sirenes de alerta em localidades israelenses próximas a Gaza.

Ziad Al-Nakhala, outro líder da Jihad Islâmica, disse em entrevista ao canal libanês ​Al Mayadeen que “não há mais linhas vermelhas nessa batalha”. “Tel Aviv cairá sob os foguetes da resistência, assim como todas as cidades israelenses.” ​

Em breve comunicado, as Forças de Defesa do país também disseram que declararam uma “situação especial”. A designação concede às autoridades mais poderes sobre a população civil com o pretexto de promover a segurança pública, segundo o jornal The Times of Israel.

Reuniões em áreas de até 80 quilômetros da Faixa de Gaza foram proibidas, e moradores de regiões próximas à fronteira foram instruídos a permanecer perto de abrigos antiaéreos. As entradas da região também já haviam sido bloqueadas dias antes. ​

VER MAIS

VER MAIS