Reprodução
Reprodução

Indicada de Joe Biden à embaixada diz que reduzir desmatamento no Brasil será prioridade dos EUA

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nesta quarta-feira, 18, Elizabeth Bagley, indicada para ser a nova embaixadora dos EUA no Brasil, disse que terá como prioridade combater o desmatamento e os crimes ambientais no país.

“Uma das minhas maiores prioridades será encorajar esforços para aumentar a ambição climática e reduzir dramaticamente o desmatamento, proteger os defensores [da floresta] e processar crimes ambientais e atos de violência correlatos”, disse Bagley, em seu discurso de abertura de sua audiência de confirmação no Senado.

CONTINUE LENDO...

Desde que Biden assumiu o poder, a área de meio ambiente ganhou papel central nas relações bilaterais americanas. Os EUA se uniram a países europeus na pressão internacional para que o Brasil apresente melhores resultados no combate ao desmatamento na Amazônia.

Bagley terá condições de atuar nessa área principalmente por ter sido assessora de Kerry, hoje o principal conselheiro de Biden para temas ambientais. Apesar disso, diplomatas apostam que a principal missão da embaixadora será acompanhar de perto as eleições de 2022. O governo americano avalia que o pleito tende a ser conturbado.

A diplomata nomeada para o cargo em janeiro esperou quatro meses pela sabatina. Ela ainda precisa receber o aval da Comissão de Relações Exteriores e ser aprovada em votação no Plenário do Senado. As datas para essas próximas etapas não foram anunciadas.

As nomeações de Biden para cargos importantes têm sofrido demora para serem aprovadas pelo Legislativo. A embaixadora nomeada para o Chile, Bernadette Meehan, por exemplo, foi nomeada em julho de 2021, sabatinada em março de 2022 e ainda não teve a indicação votada pelo Senado.

Com informações do Portal Holanda

VER MAIS

VER MAIS