Reprodução
Reprodução

Paraenses relatam transtornos com ondas de frio no sudeste e sul do país; assista

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram


Paraenses morando no sul e sudeste do Brasil relataram nesta sexta-feira, 20, os transtornos vividos com a massa de ar frio e ventos que começaram nesta semana. A previsão é de que tempo fique um pouco mais tranquilo nas regiões Centro-Oeste e Sudeste durante o fim de semana.

A técnica em segurança do trabalho Lidiane Oliveira, 43 anos, foi a serviço para o município de Barra Bonita, interior de São Paulo. Saiu de Belém há cerca de dois meses e o frio acabou a pegando de surpresa. Ela registrou uma extensa camada de neblina. As imagens chegam a assustar.

CONTINUE LENDO...

Assista:

Segundo Lidiane, o frio está presente em todo dia, mesmo com a aparição do sol. “A temperatura oscila tanto de dia a noite. A tarde o sol aparece, mas o frio continua. Nesse exato momento, a temperatura está 11° graus”, disse.

Lidiane revelou que está apresentado problemas de saúde, por conta da frente fria. “O raciocínio fica lento devido o frio. Estou com falta de ar e coriza. A preocupação aumenta já que trabalhamos com máquinas e caminhões”.

Por outro lado, a gerente de contas Taciane Tavares, 25 anos, que mora há quatro anos em Brusque, município de Santa Catarina, no sul do Brasil, esclareceu que a situação não está tão alarmante onde vive, diferente do que foi no ano passado. “O que teve foi um vento forte entre quarta e quinta-feira, mas tirando isso até então tudo normal. Ano passado foi feio. Tiveram casas destruídas, telhados voando para tudo que é lado”, admitiu a paraense.

A trabalhadora fez imagens de dentro da própria casa dos ventos fortes.

Veja:

Taciane reiterou que sofre todo ano com o frio e ainda não se acostumou. “Não consigo me acostumar com esse frio. Ainda mais paraense que não é acostumado com 6 graus. Estou com a camiseta do trabalho, mais dois casacos reforçados, uma leggin pelúciada mais a calça jeans e duas meias grossas”.

A estimativa é de geadas sejam registradas nas regiões serrana do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, parte do Paraná e algumas cidades do interior de São Paulo.

VER MAIS

VER MAIS