Reprodução Aparelhos Auditivos
Reprodução Aparelhos Auditivos

Água no ouvido: casos de otite em crianças são mais comuns nas férias; saiba como tratar

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Quem nunca voltou da praia ou piscina com a famosa “água no ouvido”? A situação trás muito incômodo e é comum no verão, já que muitas pessoas aproveitam o período para ir aos balneários. O problema afeta principalmente as crianças, que costumam ter brincadeiras que facilitam a entrada de água nos ouvidos.

A otite nada mais é do que uma inflamação no ouvido, mas que pode tornar um verdadeiro pesadelo das férias. Os resquícios de água na orelha após o contato com a água criam um ambiente úmido propício para o crescimento de bactérias ou fungos, podendo causar a otite externa. E a dor é uma das partes mais difíceis dessa infecção.

CONTINUE LENDO...

Os principais sintomas da Otite são dor nos ouvidos, sensação de ouvido tampado, inchaço e presença de secreção.

Saiba identificar:

Nos casos de otite externa, os pais podem notar vermelhidão e inchaço na orelha, acompanhados de muita dor quando tocada mesmo que levemente. Além disso, a criança costuma levar a mão ao ouvido com frequência. Antes de ir ao médico, para amenizar a dor, pode-se fazer uma compressa morna e colocá-la no ouvido externamente.

Cuidados:

Infelizmente, não existem muitas formas de prevenção quando o assunto é otite. A principal orientação médica é tomar cuidado com o ouvido após o contato com a água.

Veja algumas dicas que podem te ajudar e ajudar as crianças para evitar que essa dor apareça:

– Evitar molhar os ouvidos;

– Evitar a exposição prolongada na água e enxugar o ouvido imediatamente após o contato;

– Não manipular ouvidos com cotonetes, chaves, palitos e outros objetos;

– Evitar exageros, como excesso de sol, ar condicionado e alimentos gelados;

– Em caso de dor de ouvido, não pingar remédios caseiros;

Além disso, lembre-se sempre de procurar um profissional otorrinolaringologista em caso de dúvidas e para uma avaliação antes de sair de férias para prevenir a infecção.

Com informações de João Pedro Teddesco Garcia, otorrinolaringologista

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }