EXCLUSIVO: Justiça condena ‘Hétero top’ a 4 anos de prisão e terá que pagar R$ 100 mil por danos morais à família de Luma Bony

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O réu Maurício César Mendes Rocha Filho, conhecido por ‘hétero top’, foi condenado pela 6ª Vara Criminal de Belém, a 4 anos de prisão em regime fechado e terá que pagar R$ 100 mil à família da Luma Bony, de 23 anos, por danos morais por divulgar vídeos íntimos dos dois na internet.

A sentença da justiça saiu no dia 24 de maio deste ano e o Portal Roma News teve acesso ao documento nesta terça feira, 25.

CONTINUE LENDO...

O documento afirma ser importante registrar que, sendo a vítima mulher, “a vinculação
de sua imagem a cenas de conteúdo sexual, no contexto de uma sociedade que historicamente cerceia a sua liberdade de viver e de se expressar, agrava ainda mais os efeitos da conduta delitiva, por permitir que a vítima seja submetida, no âmbito da sociedade, a julgamentos de moralidade altamente prejudiciais à sua saúde mental”.

Diante do contexto, a justiça considerou todas as consequências que o acusado proporcionou para a vítima e sua família e fixou o valor mínimo de R$ 100.000,00 por reparação pelos danos
morais.

Sobre o caso:

A jovem Luma Bony, de 25 anos, conheceu Maurício pela internet e Luma aceitou ir a um clube com Maurício. O próprio acusado divulgou em suas redes sociais vários vídeos desse encontro.

No mesmo dia, Luma trocou mensagens com uma amiga em que dizia estar drogada. Em uma áudio, ela comenta que não estava bem e pediu para ir embora, mas Maurício alegou que precisava passar em casa antes. Foi quando o acusado teria estuprado a jovem.

De posse de imagens íntimas de Luma, Maurício passou a chantageá-la. A jovem não aguentou a pressão e ameaças de vazar os vídeos e acabou cometendo suicídio.

Outra vítima contou à polícia que teria passado pela mesma situação e que Maurício a obrigou a fazer inúmeras compras com seu cartão de crédito. Além delas, mais cinco vítimas foram até a delegacia para contar o que passaram e fazer denúncia. E nesta quinta-feira, outras mulheres procuraram a delegacia para prestar queixa.

VER MAIS

VER MAIS