Foto: Reprodução/Instagram
Foto: Reprodução/Instagram

Morre cantora paraense Karen Tavares

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Morreu na tarde de ontem, 29, a cantora paraense, Karen Laíse da Silva Tavares. A artista que também era servidora pública municipal na Secretaria de Saúde de Belém, foi recentemente diagnosticada com Leucemia.

Na Sesma, junto com sua equipe, implantou os programas Melhor em Casa, serviço de assistência domiciliar, e a Oxigenoterapia Domiciliar, programas reconhecidos na rede de saúde, pela sua efetividade no cuidado aos pacientes.

CONTINUE LENDO...

Atualmente, Karen fazia parte do núcleo de promoção à Saúde, do qual era coordenadora de humanização, e atuava na rede inteira,  implantando câmaras técnicas de humanização, organizando a política de saúde no município, para que todos os trabalhadores e usuários fossem acolhidos com dignidade. 

Karen Tavares compôs, também, o grupo de trabalho de construção da política municipal de saúde da população LgbTi+ e foi uma servidora importante na criação no núcleo de arte e saúde da Sesma, além de representar a secretaria junto à ONU Mulheres, em um projeto que desenvolve a política municipal do cuidado.

Esteve à frente da formação de Educadores Populares em Saúde, onde atuou na implantação dessa política municipal. Criou ainda o coral Vozes Cintilantes, na Casa Rua, onde ensinava canto para mulheres em situação de rua .

Meio Artístico

Karen também foi muito presente na cena artística e cultural de Belém. Foi uma grande intérprete e compositora. Iniciou a carreira no início dos anos 2000, cantando sambas.

Ao longo de sua trajetória artística passou por repertórios diversificados,  participou de diversos festivais, que a colocaram em contato com muitos compositores paraenses.

Mais recentemente passou a construir um trabalho autoral. Em 2021, lançou “Mandou Chamar”, produzido pela Lei Aldir Blanc, de 2020, e premiado este ano como Melhor Álbum, na primeira edição do Prêmio Amazônia de Música, realizado no início de junho, no Theatro da Paz. 

Karen Tavares deixa uma filha de 10 anos, familiares, muitos amigos e todo esse legado na área da saúde e na cena artística e cultural de Belém.

Em nota, a Prefeitura de Belém lamentou a morte da cantora e servidora municipal. “Neste momento de profunda dor e pesar, a administração municipal manifesta as mais sinceras condolências por essa partida precoce”, diz a nota.

VER MAIS

VER MAIS