Foto: Reprodução/PF
Foto: Reprodução/PF

Perito do caso Brumadinho atua nas investigações de corpos à deriva no Pará

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O perito criminal federal Carlos Palhares, reconhecido por seu trabalho nas investigações do Brumadinho, chegou em Bragança para ajudar nas investigações sobre os corpos encontrados em um barco à deriva no Rio Caeté, em Bragança, no Pará.

Atualmente, Palhares ocupa o cargo de diretor do Instituto ​Nacional de Criminalística (INC), com uma vasta experiência em Identificação de Vítimas de Desastres (DVI). O perito é um especialista reconhecido em ciências forenses e possui mais de 15 anos de experiência na Polícia Federal.

CONTINUE LENDO...

Palhares possui doutorado em Ciências, com especialização em Patologia/Medicina Legal, pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP), além de possuir também o mestrado em Ciências da Saúde e graduação em Odontologia pela Universidade de Brasília (UnB).

Segundo a Polícia Federal, o foco das investigações está na identificação das vítimas, onde a Polícia Federal emprega os protocolos mais avançados de DVI. Esses protocolos incluem técnicas como análise de DNA, impressões digitais, registros odontológicos e reconhecimento de objetos pessoais. Por se tratar de uma investigação complexa, os peritos criminais federais do Pará, trabalharão juntamente com a equipe precursora de DVI da PF, composta por peritos criminais federais e papiloscopistas policiais federais do Instituto Nacional de Criminalística (INC), onde Palhares é diretor, e do Instituto Nacional de Identificação (INI), em Brasília.

VER MAIS

VER MAIS