Sequestro na Augusto Montenegro: audiência decide se Yann Carlos continua preso

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A audiência de instrução de Yann Carlos Monteiro Barroso, de 27 anos, acontece nesta terça-feira, 1, a partir das 10h, no Fórum Criminal de Belém, e vai decidir se o acusado de fazer refém uma mãe e os três filhos por mais de 17 horas na avenida Augusto Montenegro, em março deste ano, continua preso.

Segundo a defesa da vítima de Yann, a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) teria feito um pedido de soltura de Yann, com base em laudo da Polícia Científica do Pará que comprova a insanidade mental do homem. No documento, o perito detalha personalidade de Yann e conclui que ele é incapaz de entender o crime que cometeu, tornando inimputável. No entanto, a Sespa não confirmou a informação.

CONTINUE LENDO...

Mas, em nota enviada ao Portal Roma News, a Sespa informou que “não solicita pedido de soltura”. Além disso, a Secretaria ressaltou que “atendendo a determinação da justiça, o homem foi atendido pela Equipe de Avaliação e Acompanhamento de Medidas Terapêuticas Aplicáveis às Pessoas com Transtorno Mental em Conflito com a Lei (EAP)”.

Na audiência, o acusado deve prestar depoimento e contar a sua versão sobre o caso, mas também terá o direito de permanecer em silêncio. A animadora de festas, Ana Júlia, vítima do sequestro, também participará da audiência.

Yann está preso no Presídio Estadual Metropolitano III (PEM III), em Marituba, e deve participar da audiência por videoconferência.

O sequestro

O fato começou por volta das 19h da última quarta-feira, 8. O homem, armado com uma faca, rendeu uma mulher identificada como Ana Júlia e os três filhos dela: uma criança de 3 anos, uma de 7 e outra de 10, enquanto eles entravam em um carro de aplicativo. No momento em que percebeu a ação, o motorista do veículo conseguiu sair e pedir ajuda.

Negociação

O local ficou cercado por viaturas da PM, Rotam, SAMU e Corpo de Bombeiros. A via permaneceu fechada nos dois sentidos Belém/Icoaraci e Icoaraci/Belém. A polícia militar tentou a todo momento negociar com o homem, mas ele seguia irredutível.

O governador Helder Barbalho, se posicionou nas redes sociais sobre o ocorrido e segundo ele toda força de segurança especializada estava trabalhando na ação.

Crianças liberadas

Às 22h50, uma das crianças mantidas reféns no veículo, foi liberada, a segunda criança foi liberada às 23h39min. Já a menina de três anos foi liberada às 10h10 min da manhã desta quinta-feira, 9. Os três foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros.

Relato da família

Segundo a polícia, Yan estava muito nervoso e não permitia a aproximação de nenhum agente, ao menos para entregar água para as vítimas. A família dele afirmou que ele não é bandido e nem criminoso, só está doente. Uma tia de Yan relatou que a família tentou buscar ajuda para interná-lo, em vários hospitais da capital, mas não obteve êxito.

“Ele veio de Santa Catarina para cá, foi morar lá a trabalho, ele estava trabalhando, tava casado e após o término do relacionamento, piorou o surto dele”, disse Lorena.

O pai de Yan, emocionado, disse que seu filho estava em surto e que não era bandido. “Isso não foi um assalto e nem roubo, vocês viram, ele apenas surtou”, disse aos prantos.

VER MAIS

VER MAIS