Caos no trânsito da Grande Belém

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O trânsito está caótico – para não dizer insuportável – na rodovia BR-316, onde estão sendo executadas obras do BRT Metropolitano pelo governo do Estado. Os transtornos causados pelos engarrafamentos, sabemos, é para melhorar a vida da população, mas o que todos também sabem é que o sofrimento não deveria ser tanto assim, tivessem sido tomadas as devidas providências, num trabalho conjunto entre governo e prefeituras da Região Metropolitana, principalmente no que diz respeito à sinalização.

Durante a noite, as muretas de concreto usadas para fazer os desvios ficam praticamente invisíveis, pois não há iluminação, nem tampouco placas indicativas que sinalizem de maneira clara esses desvios, confundindo os motoristas, que não raro entram nos retornos por engano. Para piorar, as viaturas do Detran estacionadas nos canteiros da obra servem de hotel para os agentes de trânsito, raramente vistos do lado de fora trabalhando, nem mesmo nos horários de pico.

CONTINUE LENDO...

Pelo visto, só há um jeito: rezar para as obras acabarem logo e torcer para que o empreendimento não se transforme em outro “elefante branco”, como é o BRT da Prefeitura de Belém. Ao longo da avenida Almirante Barroso impera o engarrafamento, ao lado das duas pistas do BRT praticamente vazias durante todo o tempo, com estações de ônibus até hoje sem uso, mas já caindo aos pedaços. É dinheiro público jogado fora, transtorno sem solução, uma sina que a população paraense realmente não merece.

VER MAIS

Banco da Amazônia: burocracia em tempos pré-COP-30

O Banco da Amazônia (Basa), que acumulou R$ 1,34 bilhão de lucro em 2023, ainda deixa muito a desejar no quesito atendimento ao público. Para se conseguir o crédito rural, principal meio de financiamento do agronegócio brasileiro, por exemplo, é preciso trilhar caminhos tortuosos da burocracia que mais atrapalham do que ajudam instituições, produtores rurais e cooperativas que precisam emprestar dinheiro com subsídio de taxas de juros do governo federal.Em tempos pré-COP-30, o Basa deveria servir de modelo para este tipo de operação no Pará, com linhas de crédito acessíveis, primando pela responsabilidade social e ambiental, ao contrário do que se vê. O acesso ao crédito do Fungetur é exemplo disso. O que o Basa está querendo?

Read more

Belém ganha novo restaurante popular

A Prefeitura de Belém reinaugura, nesta quarta-feira, 17, o Restaurante Popular de Belém Desembargador Paulo Frota, que passou por obras de manutenção e adaptação. O evento terá a presença do prefeito Edmilson Rodrigues, show com a  cantora Mariza Black e um cardápio especial para o público. A programação se inicia às 11h.

Read more

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }