Alexandre de Moraes pede explicações à PRF sobre operações em ônibus com eleitores

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, determinou neste domingo, 30, que o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal, Silvinei Vasques, explique com imediata urgência as razões pelas quais estão sendo realizadas operações policiais em alguns estados do país. Medida veio após descumprimento dos agentes à proibição de ações policiais durante o segundo turno.

Alexandre de Moraes foi acionado pela coligação ”Brasil da Esperança”, do candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A campanha de Lula informou que a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal estariam fazendo blitz e barreiras nas estradas, o que dificultaria o transporte dos eleitores.

CONTINUE LENDO...

Após a denúncia da coligação, Moraes intimou o diretor-geral da PRF a explicar sobre as operações. ”De ordem, oficie-se com urgência, o Diretor-Geral da Polícia Rodoviária Federal para informar imediatamente sobre as razões pelas quais realizadas operações policiais […], relacionada ao transporte público de eleitores”, escreveu o ministro.

Neste sábado, 29, o ministro Alexandre de Moraes já havia determinado a proibição para a PF e a PRF de realizarem operações envolvendo o transporte público disponibilizado aos eleitores, seja ele gratuito ou não, sob pena de responsabilidade criminal dos respectivos diretores-gerais. A medida do TSE é válida até o encerramento do segundo turno eleitoral.

VER MAIS

VER MAIS