Ascom Salvaterra
Ascom Salvaterra

Após ser homenageado na Sapucaí, Mestre Damasceno é recepcionado com carreata em Salvaterra; assista

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Depois de ter sido homenageado pela escola de Samba Tuiutí, no carnaval do Rio de Janeiro este ano. Mestre Damasceno retornou para sua cidade natal, Salvaterra, e foi recebido com festa na manhã desta terça-feira, 28.

No município da Ilha do Marajó, foi montada uma estrutura, e que está ocorrendo um cortejo em um veículo do Corpo de Bombeiros na Foz do Rio Camará para o centro de Salvaterra. Veja:

CONTINUE LENDO...

Apesar da escola Paraíso do Tuiuti não ter vencido o Carnaval, tendo ficado no 8ª lugar, a apresentação da cultura do Marajó no samba enredo vem rendendo muitos frutos para mestre Damasceno. Um deles é a doação de um terreno, feita pela prefeitura de Salvaterra, que servirá de barracão para que o artista paraense continue a desenvolver o trabalho musical.

Veja como foi desfile da Tuiuti:

Conheça o Mestre Damasceno

Damasceno Gregório dos Santos, ou como é mais conhecido, mestre Damasceno, está prestes  a completar 69 anos de idade, e em 2023 também completa 50 anos de atuação na cultura popular. Oriundo do quilombo de Salvá, localizado no município de Salvaterra, ilha do Marajó, tornou-se pessoa com deficiência visual aos 19 anos, devido a um acidente de trabalho. É cantor e compositor de toadas de boi-bumbá, de carimbó, xote, samba e até brega.

Mestre Damasceno tem quatro álbuns gravados. Em 2013 gravou “Poesia e Reflexões”, com 11 canções em um projeto de uma escola municipal de Soure. No ano de 2020, produziu o cd “Canta o Encanto do Marajó”, com 10 músicas, realizado através de recursos próprios e apoio de amigos, em um estúdio de Salvaterra; e em 2021 gravou Encontro D’água, que teve participação especial de Dona Onete na faixa Feira do Veropa, com apoio do Edital de Música da Lei Aldir Blanc – Secult/PA, e agora em janeiro de 2023 lançou o álbum Búfalo-Bumbá. Em março, fará o lançamento de mais um trabalho musical.

Mestre Damasceno já ganhou inúmeros títulos. O primeiro título foi em 1973, aos 19 anos, quando foi campeão de colocador de Boi-Bumbá, no município de Soure, e de lá para cá muitos outros o sucederam. Mestre Damasceno recebeu dois prêmios da Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural, do extinto Ministério da Cultura (2009 e 2017). Recebeu também o Prêmio Mestre da Cultura Popular do Estado do Pará – SEIVA, por meio da Fundação Cultura do Pará – Tancredo Neves (2015), e foi reconhecido como mestre de carimbó pelo Instituto do Patrimônio, Histórico e Artístico Nacional (IPHAN, 2017); além de muitas outras premiações e homenagens simbólicas, inclusive na Assembleia Legislativa do Estado do Pará e na Câmara Municipal de Salvaterra.

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }