Pia Sundhage lamenta eliminação precoce do Brasil na Copa do Mundo

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A técnica Pia Sundhage acusou o golpe e não escondeu a decepção pela despedida precoce do Brasil na Copa do Mundo da Austrália e Nova Zelândia. O empate por 0 a 0 com a Jamaica, nesta quarta-feira, 2, em Melbourne, não foi suficiente para classificar a Seleção.

“É muito triste. A gente tinha muitas expectativas. Começamos bem a Copa (com a goleada por 4 a 0 sobre Panamá), mas aqui estamos”, disse a treinadora.

CONTINUE LENDO...

Pia Sundhage elogiou a atuação das jamaicanas, que montaram uma retranca forte e seguraram o empate. “Elas jogaram bem e a gente não conseguiu mudar essa situação.”

Indagada sobre a demora de mexer no time no segundo tempo, Pia admitiu que poderia ter tomado outras decisões. “Essa é sempre uma pergunta que a gente se faz, quando a gente vê que não funcionou. Algumas das situações ali no segundo tempo poderiam ter sido melhores. Quando vemos o resultado, percebemos que foi um pouco tarde.”

Para a treinadora, a Seleção ficou nervosa com o passar do tempo e passou a errar mais quando o jogo se encaminhava para o empate sem gols. Ela não quis considerar a campanha da Seleção como um fracasso e assumiu parte da responsabilidade pela eliminação.

“No final, o resultado é minha responsabilidade, mas não apenas minha. Tem a ver com a forma como trabalhamos. Eu tenho que pensar se algo poderia ter sido feito diferente. Nós fizemos uma boa preparação, bons jogos e bons treinamentos. Há uma distância enorme entre o fracasso e o sucesso.”

Sobre o que poderia se esperar do futuro do futebol feminino no Brasil, Pia desconversou e comentou que o mais importante no momento era ter os pés no chão para uma análise fria do que foi a participação do Brasil no Mundial. “Temos que encarar os resultados.”

VER MAIS

VER MAIS