Reprodução/Youtube
Reprodução/Youtube

Bebê de um ano bebia seis latas de refrigerante por dia: ‘não conseguia dormir’

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Os pais do bebê Cuba, de um ano e sete meses, revelaram uma situação difícil. A mãe, Sam, e o pai, Simon, tinham hábitos alimentares ruins e isto estava refletindo nos seus três filhos. Cuba chegava a beber seis latinhas de refrigerante por dia. Além disso, diariamente, consumia alimentos processados, como hambúrgueres, batatas fritas e muitos doces.

Os hábitos do bebê, que vive com sua família em Cardiff, no País de Gales, estavam afetando a sua rotina.

CONTINUE LENDO...

“Ele praticamente não conseguia dormir, acho que devido aos refrigerantes e doces”, afirmou a mãe. Enquanto isso, o pai contou que levava os filhos para hamburguerias, entre outros locais. Porém, os pais perceberam, finalmente, que a situação alimentar da família estava séria e pediram a ajuda de uma nutricionista. Além de passar um cardápio saudável e com refeições feitas em casa para toda a família, a especialista ainda pediu que alguns exames fossem feitos no bebê Cuba. E foi constatado que ele estava com anemia.

A família, então, modificou toda a alimentação e, em menos de um mês, a mudança já passou a ter reflexos muito positivos no bebê. “Olhando para trás, eu entendo que não tinha nada a ver com o meu filho, mas, sim, comigo e com meu marido. Estávamos deixando nossos filhos nos controlar e não pode ser assim”, concluiu.

As filhas mais velhas, Cleo e Shea, também eram viciadas em doce e em alimentos gordurosos. Os pais dizem que Cuba, ainda muito pequeno, estava sempre comendo e ia à despensa procurar comida cerca de 30 vezes por dia. “Ele se serve sozinho, não tenho controle sobre o que ele come”, admitiu o pai.

O documentário mostrou que Cuba ingeria mais de 3.200 calorias por dia, 700 a mais do que a quantidade recomendada para um adulto. A criança consumia “meio litro de óleo por semana” e tem sérios problemas para dormir à noite.

Com informações do R7

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }