Reprodução
Reprodução

Eleitorado trans com nome social aumentou mais de 370% em quatro anos

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passou a permitir, em 2018, que os eleitores transexuais incluíssem o nome social no título de eleitor. Desde então, é cada vez maior o número de pessoas que passaram a utilizar essa opção.

Naquele ano, 7.945 pessoas solicitaram à Justiça Eleitoral a inclusão do nome social no cadastro eleitoral. Em quatro anos, o número aumentou 373,83% e hoje são 37.646 brasileiras e brasileiros que possuem um nome social no documento

CONTINUE LENDO...

O nome social é aquele escolhido por pessoas transgêneras, travestis e transexuais que, no dia a dia, não utilizam o nome registrado em seus documentos pessoais.

O TSE divulgou que grande parte dos eleitores trans são jovens entre 21 e 24 anos. Esse número totaliza 5.440 pessoas. Já a faixa entre 25 e 29 anos aparece em segundo lugar com 4.985 pessoas. A faixa etária de mais de 85 anos é a que possui o número menor e apenas 3 pessoas escolheram usar o nome social.

Fonte: Pleno News

VER MAIS

VER MAIS