Reprodução instagram @sf_moro
Reprodução instagram @sf_moro

Julgamento de Sérgio Moro no TRE-PR pode redefinir cenário político nacional

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) iniciará nesta segunda-feira, 1º, o julgamento do senador Sérgio Moro (União-PR), que enfrenta acusações de abuso de poder econômico. Encabeçado pelo PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, e pela Federação Brasil da Esperança, composta por PCdoB, PV e PT – sigla do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o processo pode resultar na cassação do mandato de Moro e em sua inelegibilidade por oito anos.

O julgamento, que promete ter amplas repercussões no cenário político nacional, diz respeito aos gastos pré-eleitorais de Sérgio Moro entre 2021 e 2022, quando ele se apresentava como pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos.

CONTINUE LENDO...

Embora sua candidatura presidencial não tenha avançado, Moro migrou para o União Brasil em março de 2022, tentando concorrer a deputado federal por São Paulo. No entanto, sua mudança de domicílio eleitoral foi impedida pela Justiça Eleitoral, levando-o a se candidatar ao cargo de senador pelo Paraná, onde foi eleito com mais de 1,9 milhão de votos.

As ações em questão argumentam que os gastos e a estrutura de sua pré-campanha à presidência foram “desproporcionais”, conferindo a Moro uma vantagem significativa sobre outros candidatos ao Senado no Paraná. Além disso, a soma dos gastos das pré-campanhas com as despesas da candidatura ao Senado supostamente ultrapassou o teto estabelecido.

No final do ano passado, o Ministério Público Eleitoral (MPE) emitiu um parecer defendendo a cassação do mandato de Moro e sua inelegibilidade até 2030. Composto por sete magistrados, o TRE-PR decidirá o destino do senador. Se quatro votarem pela condenação, a chapa de Moro será cassada pelo tribunal regional.

Caso isso ocorra, o senador não perderá imediatamente o mandato. O caso deverá seguir para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que terá a palavra final sobre a punição. Se a decisão do TSE for desfavorável a Moro, eleições suplementares serão convocadas para eleger um novo senador para representar o Paraná até 2030.

Com informações do Uol

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }