Reprodução
Reprodução

Mãe que matou filhas com atos cruéis afirma ter feito ‘um bem’ às crianças

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A mãe que matou as duas filhas de 6 e 10 anos, em Goiás, mostrou estar satisfeita com seus atos. Segundo as autoridades, Izadora Alves de Faria, de 30 anos, disse que fez “um bem” para as meninas ao livrá-las de uma vida difícil. O caso chocou habitantes da cidade Edéia e até mesmo os investigadores.

“Na cabeça dela, ela tinha feito um bem para as crianças. Ela acha que ela livrou as meninas de viver uma vida que ela viveu”, contou o delegado Daniel Moura.

CONTINUE LENDO...

Izadora confessou em depoimento que tirou a vida das pequenas Maria Alice e Lavínia Souza após uma sucessão de crueldades.

“Ela confessou o crime, o modo como ela matou as crianças. Segundo ela, de início, ela tentou dar veneno, mas como ela viu que não iria funcionar, ela levou as crianças para uma caixa d’água, que fica em frente à casa, e tentou eletrocutar as crianças com uma extensão ligada à rede elétrica. Como ela viu que não ia dar certo, ela desligou a extensão e foi lá na caixa d’água e afogou as crianças. Quando as crianças estavam desacordadas, ela tirou as duas da caixa d’água e as colocou num colchão. Para certificar que tinha matado elas, ela deu um golpe de arma branca”, contou Moura.

As meninas foram encontradas pelo pai sob um cobertor, após ele chegar em casa no horário de almoço. Na ocasião, ele encontrou manchas de sangue no chão e localizou as meninas sobre um colchão.

A mulher foi encontrada em um matagal perto de sua casa, com sinais de tentativa de suicídio. Segundo relato do pai das crianças, o relacionamento do casal vinha enfrentando dificuldades, e Izadora precisava fazer tratamento psiquiátrico.

Izadora está presa preventivamente por determinação do juiz Hermes Pereira Vidigal. Ela pode pode responder por duplo homicídio qualificado, com acréscimo de pena porque as vítimas eram menores de 14 anos e suas filhas. A pena pode chegar a 100 anos de prisão.

Com informações do Pleno News

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }