Menino de 3 anos morre após passar um ano com prego no pulmão

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Cauan Araújo Conceição, de 3 anos, morreu após passar um ano com um prego no pulmão. Os pais alegam negligência do hospital público de Canavieiras, no sul da Bahia, já que o levaram na unidade várias vezes, mas só descobriram o objeto no corpo da criança quando fizeram um exame particular.

A família disse que levou o menino diversas vezes ao Hospital Municipal de Canavieiras e os médicos não pediram exame para identificar o que ocorria com ele. Foi apenas em um raio-x realizado por conta própria dos pais, na quarta-feira passada, que a mãe descobriu que havia um prego no pulmão do garoto. 

CONTINUE LENDO...

Segundo a família, foi a primeira vez, de muitas, que Cauan deu entrada na unidade, sempre com os mesmos sintomas, que com o passar do tempo se intensificaram.

A penúltima entrada que a criança deu na unidade foi dia 27 de junho. De acordo com a família, a médica que atendeu o menino disse que os sintomas seriam de asma e passou medicamentos, o liberando em seguida. A mãe de Cauan decidiu então fazer um raio-x particular e foi assim que descobriu o prego no pulmão do filho. 

Após a descoberta, a mãe conta ter voltado imediatamente ao hospital municipal. “Chegando lá deram medicamento a ele e mandaram ficar na espera de alguma regulação para ser transferido. Aí ele foi transferido para Salvador”, relembra a mãe. 

No Hospital Geral do Estado, o garoto passou por um procedimento para retirar o prego, que havia perfurado os dois pulmões. Ele ainda chegou a ficar internado dois dias na UTI, mas não resistiu. 

Em nota ao jornal, a Secretaria de Saúde de Canavieiras disse que a criança foi atendida na última segunda-feira, que exames foram solicitados, e que uma consulta com uma pediatra foi marcada para o dia seguinte, no dia 28, mas que a pediatra ficou doente e não houve o atendimento.

A nota disse também que a família não tinha buscado atendimento antes desse dia. A família, porém, tem papéis que comprovam que eles estiveram na unidade. A secretaria informou ainda que o caso está sendo investigado. 

Com informações do G1

VER MAIS

VER MAIS