Reprodução
Reprodução

Polícia abre inquérito para apurar suposto estelionato de projeto pede doações via PIX para marmitas

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Nesta quarta-feira, 28, a Polícia Civil informou que iniciou uma investigação para apurar o suposto golpe e crime de estelionato por meio de redes sociais de um projeto social que pede doações para aquisição de marmitas para pessoas necessitadas. A suspeita é que o caso ocorria em Blumenau, no Vale do Itajaí, e o dinheiro seria arrecado via PIX.

O caso ganhou repercutiu nas redes sociais após uma oferta para doar carne estragada ser publicada por uma das criadoras do “Alimentando Necessidades”. A publicação viralizou nos últimos dias e internautas passaram a utilizar o termo “marmitagate”.

CONTINUE LENDO...

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) confirmou que recebeu duas representações sobre o caso. O contexto das denúncias, no entanto, não foi detalhado. 

Investigação

Um boletim de ocorrências sobre o caso foi feito após a repercussão do caso nas redes sociais, segundo o delegado Felipe Orsi. Responsável pela apuração, o investigador afirmou que até o momento há indícios de fraudes no projeto, mas a prioridade neste momento é confirmar se os valores arrecadados foram destinados à doação.

Em nota, a Polícia Civil detalhou também que o modus operandi “consistia em pedir quantias em dinheiro, que seriam destinadas à compra de alimentos para pessoas necessitadas, mas os valores seriam desviados para benefícios próprios”.

“Os indícios de fraude consistem em fotos divulgadas pela Ong, nas quais há uma certa divergência entre datas”, disse o delegado. “E também porque, uma das arrecadadoras dos valores supostamente estava usando um perfil fake (falso)”, afirmou.

Segundo Orsi, não há estimativa do total de pessoas supostamente lesadas. Em comunicado, a Polícia Civil de Santa Catarina orientou a população a buscar se certificar da veracidade e da efetividade de entidades que solicitam doações.

Com informações do G1

VER MAIS

VER MAIS