Reprodução/Redes Sociais
Reprodução/Redes Sociais

Prefeitura remove placa de ‘estacionamento exclusivo para cornos’ de rua em Goiás

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A placa exclusiva para estacionamento de “cornos” foi retirada em Goiânia, onde estava há anos no local. A informação foi divulgada pela Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM) e explicada por Horácio Ferreira, diretor de trânsito da pasta: “Quando alguém faz uma alguma sinalização em Goiânia, ela está desrespeitando o código de postura e os auditores fiscais podem autuá-la quando identificada”, detalhou. Horácio explicou que toda sinalização nas vias públicas deve seguir os manuais de sinalização publicados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Além disso, devem ter autorização do órgão gestor de trânsito, seja estadual, ou municipal.

A história da placa

CONTINUE LENDO...

Cansado de ter dificuldade para sair ou chegar em casa, o corretor de imóveis Antônio Spinetti usou uma tática para driblar os motoristas. Ele colocou uma placa com o recado “Atenção! Estacionamento exclusivo para cornos”, mas apesar do esforço, ele disse que não mudou muita coisa: “Em uma forma mais crítica, eu resolvi colocar a placa pra ver se funcionava, mas não resolveu muito não. Acho que Goiânia tem corno demais”, disse Antônio, se divertindo com a situação.

A casa do corretor fica no Jardim Europa, em Goiânia, perto de um hospital. Por conta disso, o homem disse que os carros lotavam a rua e dificultavam a passagem. O alerta foi instalado em um poste há mais de 3 anos, segundo Renata Alves, de 25 anos, filha do idealizador.

Késia de Almeida, dona de uma lanchonete ao lado de onde ficava a placa, falou que muitos motoristas levam na brincadeira, brincam e perguntam se ela que instalou a placa no local. No entanto, há quem se irrite: “A gente fala que não tem nada a ver com essa placa. Uns levam na esportiva, outros falam que essa placa tá indevida, a rotina é essa. Achei boa a ideia”, explicou. Outro funcionário da lanchonete completou que muitos motoristas não ligavam e estacionavam mesmo assim. “Ninguém importa com isso aí não. O povo para mesmo assim”, falou, sem se identificar.

VER MAIS

VER MAIS