Um homem armado com uma machadinha atacou uma creche em Blumenau, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina - Imagem: Reprodução/Redes Sociais
Um homem armado com uma machadinha atacou uma creche em Blumenau, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina - Imagem: Reprodução/Redes Sociais

Relembre outros casos de ataques em escolas no Brasil nos últimos 20 anos

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O ataque a uma creche em Blumenau, na manhã desta quarta-feira, 05, que deixou ao menos quatro crianças mortas, repercutiu nacionalmente e marcou ao menos o 20º ataque em escola no Brasil desde o ano de 2002.

Segundo um levantamento realizado pelo Instituto Sou Paz no final de novembro do ano passado, desde 2002 foram registrados 12 episódios de ataques com armas de fogo em escolas brasileiras.

CONTINUE LENDO...

E segundo o levantamento divulgado pela CNN Brasil, ao menos oito episódios de violência no ambiente escolar – incluído o desta quarta-feira – foi utilizado outros tipos de armas.

Relembre os casos

Blumenau/SC – abril de 2023

Ao menos quatro crianças morreram, nesta quarta-feira (5), após um homem invadir e atacar uma creche na cidade de Blumenau, em Santa Catarina.

Segundo os bombeiros, três meninos e uma menina, de 5 a 7 anos de idade.

O delegado no local disse que o ataque foi feito por um homem com um machado, que invadiu a creche.

Segundo o governo de Santa Catarina, outras cinco crianças ficaram feridas e foram levadas para hospitais da região.

São Paulo/SP – março de 2023

Uma professora morreu, na manhã do dia 27 de março, após ser esfaqueada por um aluno em uma escola estadual na zona oeste de São Paulo.

A vítima era Elisabeth Tenreiro, de 71 anos. Segundo o secretário de Segurança de São Paulo, Guilherme Derrite, outras três professoras e dois alunos foram vítimas deste episódio.

“Nós temos quatro professoras e dois alunos vítimas; das quatro professoras, a Elizabeth lamentavelmente faleceu. Nós temos três professoras, uma que sofreu alguns golpes, mas encontra-se estável, e as outras duas superficiais. Dos dois alunos, um estável, já atendido, e outro garoto em estado de choque”, disse Derrite.

Monte Mor/SP – fevereiro de 2023

Um adolescente de 17 anos foi apreendido após arremessar uma bomba caseira pela janela em uma escola, no dia 13 de fevereiro, em Monte Mor, no interior de São Paulo.

Conforme a SSP, o artefato chegou a explodir em um vaso sanitário, mas não foram registrados feridos no incidente.

Ipaussu/SP – dezembro de 2022

Na noite do dia 14 de dezembro, um jovem de 22 anos invadiu uma escola do interior de Ipaussu (SP) após esfaquear duas pessoas e fazer outra de refém. Conforme detalhado no Boletim de Ocorrência, a motivação do crime foi vingança contra a diretora da escola, com quem o autor do crime teve problemas há dez anos.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que as vítimas de esfaqueamento foram duas professoras, uma de 26 e outra de 43 anos. A violência ocorreu por volta das 20h, quando o homem armado com uma faca pulou o muro da escola procurando pela diretora.

Ao não a encontrar, o autor do crime feriu as duas professoras em diferentes partes do corpo, como braço e abdômen. Segundo a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), as servidoras atingidas foram socorridas pela equipe da escola e encaminhadas aos hospitais da região.

Aracruz/ES – novembro de 2022

Duas escolas na cidade de Aracruz, no Espírito Santo, sofreram ataques com armas de fogo na sexta-feira do dia 25 de novembro do ano passado. Quatro pessoas morreram e 10 ficaram feridas, segundo a prefeitura da cidade. A Polícia Civil, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e outros órgãos atuam no atendimento das vítimas.

A prefeitura de Aracruz confirmou o ataque em duas instituições de ensino, a Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) Primo Bitti e na escola particular Centro Educacional Praia de Coqueiral (CEPC), ambas no bairro Coqueiral.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do estado, o atirador conseguiu entrar na primeira escola, a EEFM Primo Bitti, após quebrar o cadeado do portão. Ele abriu fogo na sala dos professores, deixando duas professoras mortas e nove feridos.

O atirador prosseguiu para a segunda escola de carro, onde matou uma criança de 12 anos, e deixou duas pessoas feridas, ainda sem informação sobre a idade delas.

Em coletiva de imprensa, o governador Renato Casagrande disse que o autor dos ataques confessou ter cometido o crime em conversa com os pais e com a polícia. Ele não falou sobre sua motivação, mas disse ter planejado o ataque por cerca de dois anos.

Sobral/CE – maio de 2022

Um aluno de 15 anos atirou em três estudantes de uma escola pública em Sobral, no Ceará, no dia 5 de outubro de 2022.

A arma de fogo usada estava registrada em nome de um CAC (colecionador, atirador desportivo e caçador), que, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do estado, supostamente pertence a um familiar do jovem.

De acordo a Delegacia Municipal de Sobral, o aluno confessou durante depoimento que havia premeditado o ato após ser vítima de bullying. O crime aconteceu na Escola de Ensino Médio em Tempo Integral Professora Carmosina Ferreira Gomes, no bairro Sumaré.

As três vítimas atingidas pelos tiros foram encaminhadas à Santa Casa de Misericórdia de Sobral. Um deles não resistiu aos ferimentos e morreu. Os outros tiveram alta hospitalar.

São Paulo/SP – março de 2022

Uma estudante de 12 anos foi esfaqueada por um colega de classe no Colégio Floresta, zona Leste de São Paulo, no dia 22 de março de 2022. Um colega de 11 anos que tentou protegê-la acabou ferido também.

O agressor era outro estudante, de 13 anos, e, segundo a polícia, disse sofrer bullying.

A estudante foi golpeada com faca ao menos 10 vezes e teve o pulmão perfurado, mas sobreviveu. O menino de 11 anos teve ferimentos leves.

Morro do Chapéu/BA – setembro de 2022

Um adolescente de 13 anos atacou a Escola Municipal Yeda Barradas Carneiro, onde estuda, na cidade de Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, na Bahia.

Na manhã do dia 27 de setembro do ano passado, ele ateou fogo no colégio e feriu a diretora com o uso de uma faca. O jovem foi apreendido pela Polícia Militar e respondeu por ato infracional análogo ao crime de lesão corporal leve.

Segundo informações da Polícia Civil baiana, o estudante entrou na escola e atirou explosivos caseiros do tipo coquetel molotov, que causaram as chamas. Em seguida, teria esfaqueado a coordenadora. Ninguém ficou ferido pelo contato com o fogo e a vítima foi encaminhada a exame de corpo de delito.

Barreiras/BA – setembro de 2022

Um estudante armado entrou na Escola Municipal Eurides Sant’Anna, no dia 26 de setembro, e atirou contra dois alunos na cidade de Barreiras, interior da Bahia. Uma aluna cadeirante, de 20 anos, morreu durante o ataque. Não há informações sobre a motivação do crime.

Saudades/SC – maio de 2021

Um jovem de 18 anos invadiu uma escola de ensino primário no município de Saudades, no oeste do estado de Santa Catarina, em 4 de maio de 2021.

Ele matou três crianças e duas professoras. Segundo informações da Polícia Civil, ele portava um facão e golpeou alunos e professores ao entrar no local.

Outras três crianças e uma funcionária também ficaram feridas e foram encaminhadas ao hospital de Saudades.

Charqueadas/RS – agosto de 2019

Um adolescente de 17 anos atacou com golpes de machadinha seis alunos e uma professora do Instituto Estadual Educacional Assis Chateubriand, no dia 21 de agosto de 2019, em Charqueadas, no Rio Grande do Sul.

Conforme o jornal O Estado de S. Paulo, nenhuma vítima sofreu ferimentos graves. O agressor foi entregue à polícia pelo próprio pai após confessar o que havia feito.

Caraí/MG – julho de 2019

No dia 7 de novembro de 2019, um aluno de 17 anos invadiu uma sala de aula da Escola Estadual Orlando Tavares no município mineiro de Caraí. Ele disparou e feriu dois estudantes.

Suzano/SP – março de 2019

Um ataque na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na Grande São Paulo, deixou dez mortos, incluindo os dois atiradores, e 11 feridos.

Os autores do massacre eram ex-alunos da instituição.

Um dos atiradores acabou matando o comparsa e depois cometeu suicídio.

Medianeira/PR – setembro de 2018

Um estudante de 15 anos do ensino médio pegou uma arma e atirou nos colegas em uma escola estadual da pacata cidade de Medianeira, a 60 quilômetros de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Tinha uma lista para livrar os amigos – no fim, dois acabaram baleados. O atentado aconteceu no Colégio Estadual João Manoel Mondrone. Segundo a polícia, o autor do ataque seria vítima de bullying na escola.

Goiânia/GO – outubro de 2017

Um adolescente de 14 anos matou a tiros dois colegas e feriu outros quatro em uma sala de aula do Colégio Goyases, em Goiânia em 20 de outubro de 2017.

Filho de policiais militares, ele usou a arma da mãe, que havia levado à escola particular escondida na mochila. Segundo a Polícia Civil, o rapaz sofria bullying e o crime foi premeditado.

Santa Rita/PB – abril de 2012

Dois jovens chegaram à Escola Estadual Enéas Carvalho, em Santa Rita (Região Metropolitana de João Pessoa), em uma moto e invadiram o pátio.

Eles usavam uniforme da escola. Um deles atirou contra um adolescente de 15 anos. O atirador disparou outras cinco vezes, atingindo duas garotas.

Uma delas, de 17 anos, foi baleada no braço direito. A outra, levou um tiro no pé esquerdo. Segundo a polícia, o motivo do crime teria sido ciúme.

São Caetano do Sul/SP – setembro de 2011

Um estudante de apenas 10 anos atirou na professora e se matou em seguida na Escola Municipal Alcina Dantas Feijão, em São Caetano do Sul, no ABC paulista.

Ele usou uma arma do pai, um guarda civil municipal. De acordo com colegas e funcionários da escola ouvidos na época, o menino era muito estudioso, inteligente e calmo.

Rio de Janeiro/RJ (Realengo) – abril de 2011

Considerado à época como o maior massacre em escolas brasileiras até então, a tragédia em Realengo, zona oeste do Rio de Janeiro, deixou 12 crianças mortas.

O crime foi cometido por um ex-aluno de 23 anos que levou dois revólveres à Escola Municipal Tasso da Silveira e disparou contra os alunos, todos de 13 a 15 anos.

Após invadir duas salas de aula, ele foi atingido na barriga pela polícia e disparou um tiro na própria cabeça.

Taíuva/SP – janeiro de 2003

Em 27 de janeiro, um estudante de 18 anos disparou 15 tiros contra cerca de 50 estudantes no pátio da Escola Estadual Coronel Benedito Ortiz, em Taiúva, interior do Estado. Ele usou a última bala do revólver calibre 38 para atirar na própria cabeça e morreu. O episódio não deixou vítimas além do rapaz.

Salvador/BA – outubro de 2002

No dia 28 de outubro de 2002, um jovem de 17 anos disparou contra duas colegas na Escola Sigma, em Salvador. As duas jovens morreram.

VER MAIS

VER MAIS