Saiba como será feita, os riscos e o tempo de recuperação da cirurgia de Lula no quadril

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Depois de passar quase um ano se queixando de dores na região do quadril, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), 77 anos, passará por uma cirurgia na próxima sexta-feira, 29, para tratar uma artrose. O procedimento será realizado em Brasilia, no Hospital Sídio-Libanês.

A artrose é um desgaste da cartilagem que reveste as articulações. Isso produz atrito ósseo e inflamação, o que gera a dor. Conforme o médico ortopedista e especialista em cirurgia do quadril, Dr Rogério Gomide, se trata de uma cirurgia de alta complexidade e de grande porte, sendo realizada com bastante frequência tanto no Sistema Único de Saúde (SUS) quanto no setor privado, principalmente na população idosa.

CONTINUE LENDO...

“A cirurgia se enquadra nas situações traumáticas, que são as fraturas na região do quadril, e também nos casos degenerativos da articulação desta região do corpo que acometem os idosos e pacientes que praticam exercícios de alto impacto. Neste processo parte da bacia que articula com a cabeça do fêmur é substituída por implantes” disse.

Dr Rogério conta que já realizou mais de 500 procedimentos deste tipo e explica que os riscos são considerados baixos. Entre as possibilidades de problema, estão a rejeição da prótese, infecção e lesões nos nervos e nos vasos da região “Essa cirurgia trás bastante melhora na qualidade de vida do paciente com redução da dor e aumento da sua mobilidade” afirma.

Depois de se operar, Lula deverá trabalhar do Palácio da Alvorada, a residência oficial da Presidência, por pelo menos três semanas e ficará até seis semanas sem viajar. Tempo mínimo e necessário de recuperação.

VER MAIS

VER MAIS