Ricardo Stuckert/PR
Ricardo Stuckert/PR

Saiba o que é artroplastia, cirurgia que Lula fará no quadril

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai passar por uma cirurgia no quadril nos próximos meses para tratar uma artrose na cabeça do fêmur, um desgaste na cartilagem que reveste as articulações. O procedimento foi confirmado pelo próprio Lula no seu programa semanal ‘Conversa com o Presidente’ na última terça-feira, 25. Ele disse que o problema é antigo, mas se queixou de piora da dor nos últimos tempos, que está afetando seu bem-estar e humor diário.

Na última quarta-feira, 26, Lula foi submetido a uma denervação percutânea no quadril direito, numa tentativa de aliviar as dores até que a cirurgia aconteça, prevista para outubro. O procedimento foi realizado no Hospital Sírio-Libanês, em Brasília, sem intercorrências. Ele deve cumprir agenda na residência oficial, o Palácio da Alvorada, nesta quinta-feira, 27 e sexta-feira, 28.

CONTINUE LENDO...

Ainda durante o ‘Conversa com o Presidente’, desta semana, Lula descartou a possibilidade de fazer a cirurgia antes de encontro com presidentes da Amazônia em Belém, que será realizado nos dias 8 e 9 de agosto

Como funciona a cirurgia?


De acordo com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), o quadril é uma articulação formada por um conjunto de ossos, músculos e ligamentos que unem a pelve (bacia) ao fêmur (coxa), possibilitando a sustentação de peso do corpo e garantindo um caminhar estável e harmônico.

A cirurgia a que Lula será submetido, chamada artroplastia do quadril, substitui a articulação do quadril “doente” por uma articulação artificial, conhecida como prótese. A articulação desgastada é substituída por componentes metálicos e plásticos, compondo um novo quadril.

Ainda segundo o Into, o procedimento deve proporcionar o alívio da dor provocada pela artrose; a correção de deformidades; e a recuperação do movimento da articulação, promovendo o retorno às atividades diárias e de locomoção, como sentar, andar, subir e descer escadas.

Pós-operatório e recuperação


Após a cirurgia, o paciente pode precisar utilizar muletas ou um andador, além de realizar exercícios específicos de fisioterapia, a serem repetidos de hora em hora para que os movimentos do quadril sejam reformados.

Ao andar, a orientação é que o paciente coloque primeiro o andador ou as muletas à frente; avance com a perna operada; apóie o peso do corpo nos braços; e, por último, leve a perna não operada. A quantidade de peso a ser colocada sobre a perna operada dependerá do tipo de cirurgia e será orientada pelo ortopedista e pelo fisioterapeuta.

Cuidados e orientações


No dia da alta hospitalar, é esperado que o paciente esteja sem dor, consiga andar com o auxílio de muletas ou de andador e que tenha consciência de todos os movimentos que não poderá realizar durante o período determinado pelo ortopedista. Seguindo os devidos cuidados, segundo o Into, o paciente deve retomar as atividades normais com independência e sem dor.

SAIBA MAIS

Lula explica motivo do mau humor: ‘dor o dia inteiro’; assista

VER MAIS

VER MAIS