Reprodução/Freepik
Reprodução/Freepik

Saiba os principais cuidados necessários com o carro na hora de pegar a estrada

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Tão importante quanto escolher o destino, reservar hotéis e definir os passeios é fazer a revisão no carro antes de viajar. O cuidado antecipado evita a possibilidade de comprometer a viagem por algo que poderia ter sido evitado com uma simples passagem por uma oficina. Das 5.432 mortes registradas em estradas federais em 2022, 1.935 foram de pessoas com mais de 45 anos, por 1.163 entre 36 e 45 anos e 1.135 de 26 a 35 anos. Além disso, do número total de mortes, 2.436 (ou 44,8%) aconteceram com automóveis. Saiba mais sobre a importância da revisão de viagem e o que é necessário checar para viajar com muito mais tranquilidade.

Existe ‘tempo certo’ para fazer a revisão?

Primeiramente, é necessário saber que um veículo sem revisão gera multa, os artigos 104 e 230 do Código de Trânsito Brasileiro dizem que, ao conduzir o automóvel em mau estado de conservação ou reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído, o condutor está sujeito a multa grave, além da perda de 5 pontos na Carteira de Habilitação. O recomendado é inspecionar seu veículo a cada 6 meses ou, então, a cada 10.000 km rodados, o que acontecer primeiro.

CONTINUE LENDO...

Porém, antes do checkup, você deve prestar atenção em alguns detalhes. A primeira é que revisão do veículo não deve ser feita um ou dias antes da data da viagem. Leve-o com pelo menos uma semana de antecedência. Dessa forma, caso seja preciso trocar alguma peça ou fazer algum procedimento mais demorado, você terá tempo para deixar o carro na oficina, sem comprometer o planejamento.

Em segundo lugar, escolha uma oficina de sua confiança para fazer a revisão. Os itens que serão conferidos são de vital importância para o pleno funcionamento do veículo e seu desempenho seguro nas rodovias. Portanto, não é recomendável deixar seu carro nas mãos de qualquer mecânico.

Fazer a revisão não só garante a segurança da sua família na estrada e de todos os outros condutores, como também preserva as condições do carro. Se todas as peças estiverem em perfeito estado, o veículo trabalhará de forma eficiente, economizará combustível e saberá responder a situações de emergências, como freadas bruscas e ultrapassagens (somente as permitidas, é claro).

Quais os tipos de revisão?


Também é muito válido falar sobre as diferentes formas de se fazer revisão no carro. Elas, no caso, estão de acordo com o momento em que a inspeção é realizada. Confira abaixo as 3 maneiras de executar a vistoria no seu veículo!

Revisão preventiva
Existe aquela máxima de que é melhor prevenir do que remediar, certo? Com a vida útil do nosso carro não é diferente. A revisão preventiva é a que mantém tudo sempre em ordem, com a manutenção de todas as peças em dia, a fim de que não ocorram problemas futuros.

Nessa situação, as peças já são trocadas quando começam a demonstrar algum desgaste, evitando estragos e acidentes. Vale ressaltar que essa é a melhor maneira de revisar, principalmente em se tratando de revisão no carro para viagem. Como veremos adiante, a falta desse tipo de manutenção gera multas bastante desagradáveis e acidentes — sem falar que sai bem mais em conta!

Revisão preditiva
A revisão preditiva é feita a partir de uma prévia análise técnica, ou seja, de acordo com as recomendações do fabricante. Por meio das informações básicas do veículo, ela observa se realmente é necessária alguma manutenção naquele momento.

Um ótimo exemplo é quando o fabricante recomenda a troca de amortecedores após 40.000 km rodados. Com a revisão preditiva, será relevado se realmente é necessária a substituição, se ela pode ser feita depois dessa quilometragem ou, ao contrário, se já deveria ter sido realizada com 30.000 km.

Revisão corretiva
Não deu para fazer uma revisão preventiva ou preditiva? Ainda dá tempo de salvar o carro! Com a manutenção corretiva, o que está com problemas, com defeito ou quebrado é diagnosticado — troca-se tudo que é necessário. Um exemplo simples é quando você verifica que uma lâmpada está queimada e realiza a substituição por uma nova.

Quais itens devem ser checados na revisão do veículo?
Quando realizamos a revisão do carro, devemos ter atenção a detalhes imprescindíveis para o seu bom funcionamento e desempenho. A seguir, listamos os principais itens que devem passar pelo checkup.

  1. Pneus

A forma mais simples de revisar os pneus é com a calibragem, de acordo com as determinações do fabricante para um carro cheio. Eles também devem estar sem desgastes e bolhas. Afinal, a deterioração da banda de rodagem, quando de maneira irregular, indica desalinhamento de suspensão ou uso inadequado por um longo período.

Para ajudar nessa inspeção, devemos saber que, de acordo com a resolução 558/80 do Código Trânsito Brasileiro, os sulcos do pneu devem ter, no mínimo, 1,6 mm de profundidade. O produto novo apresenta, em média, 8 mm. Logo, percebe-se que é vital a drenagem correta da banda de rodagem, principalmente em casos de chuva e aquaplanagem.

Aqui, também não se deve esquecer de incluir os estepes na revisão dos pneus. Eles também precisam estar nas mesmas condições daqueles em uso, uma vez que farão as vezes em caso de necessidade de troca no meio da estrada.

  1. Rodas
    Olham-se os pneus, mas esquecem-se das rodas. Erro grave! As rodas de ferro também precisam ser checadas, principalmente se apresentarem amassados. Além disso, se a pressão do pneu estiver mais baixa, pode ser que, de fato, a sua roda esteja com algum problema — e isso gera fuga de ar.

Caso você note essa situação no veículo, é só levá-lo a um borracheiro. Aproveite também para observar quebras e trincas nas rodas de liga. Uma vez estragadas, elas devem ser substituídas o quanto antes.

  1. Alinhamento da suspensão e balanceamento das rodas
    Tudo certo com rodas e pneus? Então, é a hora de revisar os alinhamentos e balanceamentos do seu carro. Afinal, só são percebidos problemas em situações de maior velocidade, como é o caso de uma viagem na estrada.

Os sintomas de uma roda desbalanceada são vibrações no volante, por exemplo. Em caso de direção desalinhada, no entanto, o carro começa a “puxar para um lado”. Se recentemente você passou por um buraco ou acertou uma calçada, é interessante verificar esses alinhamentos e balanceamentos. Também dá para perceber o problema com pequenos ruídos, como se alguma coisa estivesse frouxa.

  1. Sistema elétrico
    Também é fundamental checar todas as luzes do carro: setas, freios, luz de ré, farol alto e baixo, pisca-alerta, entre outros. Para uma viagem tranquila, esses itens são essenciais, uma vez que na estrada contamos somente com a iluminação vinda dos veículos.

Além disso, não se esqueça de verificar a bateria, o motor de partida, o alternador e, é claro, todas as lâmpadas e fusíveis do seu carro. Em situações de chuva ou neblina, todos esses detalhes farão grande diferença na direção segura. No mais, veja também se as luzes do painel estão funcionando devidamente.

  1. Para-brisas e sistema de limpeza dos vidros
    Por falar em chuva, as palhetas devem estar fluindo bem no vidro dianteiro e traseiro do veículo. Se não estiverem, você não terá uma boa visão. É sempre recomendado, aliás, observar se já estão ressecadas.

Os limpadores e os desembaçadores precisam estar em bom funcionamento e o nível do reservatório de limpeza também. E, em caso de ar-condicionado, é interessante ter sempre um spray antiembaçante e um paninho de algodão para ajudar na estrada.

  1. Equipamentos de segurança
    Já falamos do estepe, mas também é importante ter todo o kit de equipamentos de segurança completo e em perfeito estado dentro do carro. Confira, por exemplo, se o triângulo, o macaco e outras ferramentas, como chave de roda, estão em boas condições de uso e guardados de forma correta no veículo.

Como são itens pouco usados, as pessoas geralmente se esquecem de conferir seu funcionamento. Imagine você precisar fazer uma parada no acostamento e perceber, somente naquele momento, que uma haste do seu triângulo está quebrada, que falta alguma chave no kit ou que o macaco está emperrado.

  1. Freios
    Imprevistos e acidentes, infelizmente, podem surpreender o motorista na estrada. Em situações que envolvem velocidades maiores, então, é bom que o sistema de freios esteja em excelente estado para que não aconteçam problemas graves.

Longe de dizer que os outros itens desta lista não sejam tão importantes, mas os freios de um carro são um dos aspectos cruciais quando o assunto é segurança no trânsito — principalmente, nas rodovias. Realize sempre uma revisão preventiva e peça para conferir com atenção todos os discos e pastilhas.

  1. Fluidos
    Óleo do motor, transmissão, direção hidráulica e embreagem devem ser conferidos, além dos filtros — filtro de ar, filtro de ar-condicionado e filtro de combustível. Em longas viagens, inclusive, o carro exige mais do motor, que precisa estar preparado para responder adequadamente aos comandos do condutor.

Em relação aos fluidos, eles devem estar dentro da validade de troca e no nível correto — lembra-se da revisão preditiva? Verifique se há presença de vazamentos, como do óleo do motor e transmissão, do líquido de arrefecimento ou do próprio combustível do reservatório de partida a frio, em caso de carros flex.

Para não ter surpresas desagradáveis, abasteça sempre em postos conhecidos e nunca deixe o mesmo combustível muito tempo parado no tanque, principalmente antes de pegar estrada.

  1. Correias dentadas

Toda boa revisão no carro para viagem também considera as correias dentadas, que devem ser verificadas, em média, a cada 50.000 km rodados. No entanto, é interessante checar a necessidade de troca a cada 15.000 km, uma vez que podem surgir desgastes e trincas. Nunca negligencie esse detalhe do veículo, já que o rompimento da correia pode danificar de forma séria o motor.

O que mais devo saber sobre a revisão do carro para viagem?


Estar com a revisão em dia não é apenas uma medida positiva a fim de garantir a segurança de todos e a vida útil do carro. Caso você não saiba, um veículo sem revisão gera multa. Seja um veículo de uso constante ou um “carro de garagem”, a revisão é fundamental em todos os casos. Feita a checagem, você já está pronto para viajar. Saia sempre de tanque cheio e, em trajetos longos, complete-o ao chegar na metade — a não ser que você conheça bem a estrada e saiba a localização de postos de combustível de qualidade.

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }