Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Saiba os riscos do Monóxido de carbono, gás que pode ter causado morte de quatro jovens dentro de BMW

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A morte dos quatro jovens dentro de uma BMW/320I chamou atenção no primeiro dia de 2024 e alerta sobre os riscos do gás de monóxido de carbono, por não apresentar cheiro e nem cor. Essas são as principais suspeitas de condições que podem ter feito com que as vítimas não tivessem percebido o vazamento.

As Vítimas de 16, 19, 21 e 24 anos foram encontradas mortas dentro do veículo na manhã desta segunda-feira, 1º. Segundo informações preliminares da polícia, uma falha mecânica no automóvel teria causado a morte do grupo.

CONTINUE LENDO...

Segundo o delegado, Bruno Effori, que está à frente do caso, as vítimas ficaram dentro do veículo cerca de quatro horas, com o ar-condicionado ligado.

Ele informou que ainda é necessário a realização de “exames complementares, mas a perícia apontou uma perfuração no escape entre o motor e o painel do automóvel, que teria vazado monóxido de carbono para dentro do veículo”, o que pode ter causado a morte dos ocupantes por asfixia e parada cardiorrespiratória.

Como o monóxido de carbono age?

  • De acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), as moléculas de monóxido de carbono se ligam à hemoglobina (responsável pelo transporte de oxigênio dos nossos pulmões para todo o organismo) presente no sangue.
  • Isso dificulta a circulação e distribuição do oxigênio – essencial para vida humana – no corpo, o que pode levar à morte por asfixia.

Os ricos de respirar o gás

O monóxido de carbono, também conhecido como CO, é um gás invisível e sem cheiro que, se inalado, pode causar problemas de saúde ou até mesmo causar a morte de forma repentina.

O CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) explica que, quando inalamos o monóxido de carbono, o gás “toma o lugar” do oxigênio no nosso sangue.

Isso acontece porque a hemoglobina se liga ao monóxido de carbono cerca de 200 a 300 vezes mais do que ao oxigênio, formando a carboxiemoglobina e impedindo a ligação do oxigênio à hemoglobina.

Consequentemente, isso faz com que nossos órgãos fiquem privados de oxigênio, fundamental para nos manter vivos. Não tendo oxigênio, as células do nosso corpo não produzem energia e morrem.

Onde o gás é encontrado?

O monóxido de carbono está presente nas emissões de combustão, como as produzidas por carros, caminhões, motores a gasolina, fogões, lanternas, madeira e carvão queimados, fogões a gás e sistemas de aquecimento.

Ainda de acordo com o CDC, o gás também pode se acumular em espaços fechados ou parcialmente fechados, causando intoxicação em pessoas e animais que o respiram.

Quais os sintomas da intoxicação por monóxido de carbono?

Em resumo, os sintomas mais comuns de envenenamento por monóxido de carbono são os seguintes:

  • Dores de cabeça;
  • Tontura;
  • Fraqueza;
  • Dores abdominais e vômitos;
  • Dor no peito; e
  • Confusão mental.

Como evitar acidentes?

  • Aquecedores ou qualquer outro aparelho doméstico movido a gás, óleo ou carvão devem passar por vistoria técnica ao menos uma vez por ano.
  • Jamais deixe ligado um carro ou outro veículo na garagem, mesmo que haja uma porta aberta.
  • Nunca use um fogão para aquecer a casa.
  • Mantenha geradores e máquinas de lava a jato ao menos seis metros de uma janela ou porta.
  • Instale detectores em casa, dispositivos geralmente pequenos, que funcionam com pilhas ou baterias.
  • Deixe o local imediatamente e procure os serviços de emergência caso sinta tonturas, dores e suspeite de vazamento de monóxido de carbono.

Com informações do G1.

SAIBA MAIS

Jovens mortos dentro de BMW em SC: veja o que falta saber sobre o caso

Intoxicação pode ter provocado mortes de jovens na BMW em SC, diz delegado

Saiba quem eram os quatro jovens encontrados mortos em uma BMW em SC

BMW onde jovens morreram em SC passou por customização para aumentar ronco do motor, dizem familiares

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }