Saiba quais são os 6 golpes comuns na Black Friday e como evitá-los

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Os pesquisadores alertam que durante a Black Friday os golpes se tornam 82% mais comuns do que em outros períodos. Por isso é importante está atento e conhecer muito bem os tipos de “perigos” que eles oferecem para se proteger. As fraudes mais frequentes ocorrem pelo WhatsApp. Elas costumam gerar danos como perda de dados e roubo de dinheiro. O Portal Roma News preparou 6 dicas que vão te ajudar a não ser enganado. Confira:

1. Cupons falsos 

No período da Black Friday, muitas lojas costumam oferecer cupons de desconto para os consumidores, que podem encontrá-los no próprio e-commerce ou em sites agrupadores de vouchers. No entanto, é possível que páginas falsas sejam criadas com o propósito de oferecer códigos de desconto fraudulentos a fim de roubar seus dados. Logo, desconfie de sites desconhecidos e que necessitam de informações pessoais para resgatar cupons. Prefira aqueles bem avaliados e indicados.

CONTINUE LENDO...

2. Sites falsos

Outra forma de golpe comum na Black Friday é a criação de sites falsos que se assemelham a páginas de empresas grandes e confiáveis. Mais uma vez, esse tipo de fraude visa coletar informações pessoais, como dados do cartão de crédito, ou transferir um vírus para o aparelho do usuário. 

Para evitar essa fraude, garanta que o domínio do site que está acessando é o link oficial da empresa. Além disso, verifique se a URL começa com “https://” — que é o protocolo de segurança que garante autenticidade da página. Sites falsos também costumam cometer erros gramaticais e ortográficos, logo, esteja atento ao conteúdo disponibilizado na página.

3. Phishing por WhatsApp ou SMS

Phishing é um tipo de crime cibernético que técnicas de engenharia social para obter informações pessoais, dados bancários ou senhas. Esse tipo de golpe é bastante diverso e pode ocorrer por meio de e-mails, SMS ou mensagens no WhatsApp e pode vir, ou não, acompanhado de um link. Na Black Friday, inclusive, ele costuma ser uma das fraudes mais comuns. 

Mesmo que a mensagem pareça legítima, jamais forneça dados sigilosos por mensagens. Para isso, confira na política da empresa se esse tipo de abordagem é comum e tente verificar a autenticidade do perfil que entrou em contato. Na dúvida, busque pelo contato oficial da companhia no próprio WhatsApp ou entre em contato por outro canal da empresa para confirmar a mensagem.

4. E-mails falsos para confirmação de dados ou da compra

Outra tática comum são os falsos e-mails de confirmação de compra falsa. Geralmente, os criminosos apontam compras caras creditadas no cartão de crédito da vítima e oferecem a possibilidade de cancelamento. Ao tentar estornar a compra, a pessoa contatada é direcionada para uma “equipe fake”, que irá pedir as informações sigilosas do cartão. 

Nesse caso, o primeiro passo é verificar o extrato do cartão para verificar se houve realmente uma compra no valor estipulado. Se realmente tiver sido cobrado por uma compra que não fez, marque a compra como desconhecida no aplicativo do cartão de crédito, entre em contato com seu banco imediatamente e siga as recomendações oficiais da companhia.

5. Golpe do Pix falso

Existem inúmeros golpes do Pix na Internet — e, durante a Black Friday, a tendência é que eles se intensifiquem. Em geral, os golpistas tentam mudar o destinatário do dinheiro a partir de acesso remoto — em uma dinâmica conhecida como “Golpe da Mão Fantasma. Para evitar as fraudes, é recomendado acessar apenas sites e apps oficiais para fazer compras, além de duvidar de links enviados por contatos desconhecidos.

6. Promoções pela “metade do dobro”

O golpe que popularizou o termo “Black Fraude” há alguns anos se refere às promoções pela “metade do dobro”. Alguns dias antes da Black Friday, sites de compras aumentam o preço dos produtos para, na sexta-feira, diminuir, gerando um desconto que não existe. 

Nesse caso, é indicado acompanhar a variação dos preços desde antes da Black Friday para entender se o desconto vale a pena ou não. Outra forma de se prevenir é utilizar sites comparadores de preço, que fornecem um histórico de valores do produto ao longo do tempo, além de informar o preço em diferentes lojas simultaneamente.

Com informações de Tech Tudo

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }