Fernando Frazão/ Agência Brasil
Fernando Frazão/ Agência Brasil

Tarifa zero aos domingos: veja como funciona o passe livre de ônibus em São Paulo 

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O programa de tarifa zero em ônibus municipais aos domingos começou hoje, 17, em todas as linhas da cidade de São Paulo. Os passageiros ainda terão que usar o Bilhete Único para passar na catraca, mas a taxa não será cobrada. A decisão foi anunciada pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) na última segunda-feira, 11, e tem o objetivo de estimular o uso do transporte público da capital aos domingos, ampliando o acesso ao lazer, parques, centros esportivos, eventos culturais, melhorar a economia e oferta de empregos. A gratuidade não conta com trem, metrô e sistema intermunicipal de ônibus.

Veja como funciona:

CONTINUE LENDO...

Segundo informações da prefeitura, os passageiros entram pela porta da frente e encostam o Bilhete Único no monitor para ter o acesso à catraca liberada, sem que a tarifa seja cobrada. Atualmente, custa R$ 4,40 no bilhete comum.

Para o usuário que não tiver o Bilhete Único, a catraca será liberada pelo cobrador, com um bilhete de bordo. Se não houver cobrador, o motorista terá um dispositivo para autorizar a passagem.

Em quais dias os ônibus serão gratuitos?

Os ônibus serão gratuitos todos os domingos, o dia todo, da 0h até as 23h59. A gratuidade também será aplicada no Natal, 25, no Ano-Novo, 1º, e no aniversário de São Paulo, dia 25 de janeiro de 2024. Nos demais feriados, de acordo com a prefeitura, não há previsão de passagem livre.

Existe ainda um estudo de aplicar a tarifa zero durante as madrugadas, entre a 0h e às 4h, mas a opção está descartada por enquanto.

Qual será a frota de ônibus aos domingos?

Segundo a prefeitura, vão circular 1.175 linhas, com 4.830 ônibus. Atualmente, cerca de 2,2 milhões de passageiros utilizam os ônibus aos domingos. Segundo a prefeitura, não há previsão do aumento da demanda de passageiros.

Qual o custo do projeto?

Com a gratuidade do transporte, a cidade vai deixar de arrecadar R$ 280 milhões no ano. Porém, segundo Nunes, não será necessário fazer investimentos extras nem ampliar a frota de ônibus. Estudos da SPTrans demonstram que, aos domingos, há 60% de capacidade ociosa nos ônibus em alguns períodos, o que permite absorver uma demanda maior.

Tem integração entre metrô e trem?

Segundo a prefeitura de São Paulo, as linhas de ônibus atendem a toda a cidade e que não há necessidade de integração com o sistema metroferroviário.

Sob responsabilidade do governo estadual, metrô e trens não aderiram ao programa e devem cobrar passagem normalmente, também no valor de R$ 4,40 no bilhete comum até 1º de janeiro de 2024, quando haverá reajuste de R$ 0,60.

Com informações do R7

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }