Vídeo: deputados Zé Trovão e Duarte Júnior trocam agressões e xingamentos em sessão na Câmara

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A sessão desta terça-feira, 11, da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, realizada para ouvir o ministro da Justiça, Flávio Dino, precisou ser suspensa após a confusão iniciada entre os deputados da oposição e parlamentares da base do governo.

O ministro Flávio Dino esteve na sessão para prestar esclarecimentos sobre decretos que estão relacionados a armas; falhas na segurança que resultou no ato do dia 8 de janeiro; uma visita sua ao Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Desde o início da reunião, ela foi marcada por discussões entre os parlamentares e muitas interrupções da fala do ministro. Quase duas horas de participação na comissão, Dino resolveu ir embora durante a uma confusão que se armou entre parlamentares que acompanhavam a audiência.

CONTINUE LENDO...

Em meio a briga, o deputado Zé Trovão (PL-SC) e o deputado Duarte Junior (PSB-MA) trocaram xingamentos e agressões. Os parlamentares precisaram ser contidos por policiais legislativos. O deputado Duarte Junior teria acusado Carla Zambelli (PL-SP) de tê-lo mandado “t*mar no c*”. Duarte Júnior, que é um dos principais aliados de Flávio Dino, disse que irá representar contra Zambelli na Comissão de Ética da casa. Veja o momento da discussão acalorada entre os parlamentares Zé Trovão e Duarte Júnior:

Antes do início da confusão, ainda em meio a sessão, o deputado Junio Amaral (PL-MG), que defende a política de armas feita pelo governo passado, chegou a dizer que o ministro estaria se comportando como “tchutchuca” junto a membros do crime organizado e como ‘tigrão” diante dos envolvidos nos atos do dia 8 de janeiro, nas sedes dos Três Poderes, em Brasília.

Dino deixou a comissão da Câmara afirmando estar se sentindo ameaçado e pediu que providências sejam tomadas ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

“É preciso que o presidente Arthur Lira chame essa gente e consiga fazer com que eles cumpram o regimento. Nessas condições, é impossível vir aqui. (…) Senão será preciso que haja mais policiais do que deputados presentes”, disse o ministro da Justiça.

O ministro saiu do local sob gritos de “fujão” por parte de deputados da oposição. Os deputados da base do governo Lula revidaram.

“Além de fazer ameaças é capaz de agredir pessoas aqui. Eles instauram um clima de ódio que é impossível fazer um debate”, acrescentou ele. “Enquanto a ordem, o decoro e o regimento não forem respeitados, eu mesmo não estou obrigado a participar desse tipo de cena. Primeiro, em respeito ao povo brasileiro, porque isso custa dinheiro público. Segundo, em respeito ao cargo que eu exerço. Terceiro, em respeito ao Congresso Nacional. Essa gente não entende que essa imagem degrada a imagem da população perante o Congresso Nacional”.

Com informações de O Globo

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }