São Paulo (SP) 20/10/2023 - Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, fala à imprensa ao lado do Presidente da CVM João Pedro Nascimento (Fora do quadro), sobre resolução relacionada ao Plano de Transformação Ecológica. Foto: Paulo Pinto/Agência Brasil
São Paulo (SP) 20/10/2023 - Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, fala à imprensa ao lado do Presidente da CVM João Pedro Nascimento (Fora do quadro), sobre resolução relacionada ao Plano de Transformação Ecológica. Foto: Paulo Pinto/Agência Brasil

CVM cria balanço de sustentabilidade para empresas de capital aberto

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Prestação de contas é voluntária e pode ser feita a partir de 2024

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) apresentou nesta sexta-feira (20) a resolução para que empresas de capital aberto e fundos de investimento possam prestar contas publicamente em relação à sustentabilidade. Os relatórios poderão ser apresentados a partir do ano que vem de forma semelhante à divulgação dos balanços contábeis, seguindo, inclusive, a mesma periodicidade.

CONTINUE LENDO...

Segundo o presidente da CVM, João Pedro Barroso do Nascimento, a prestação de contas será feita, inicialmente, de forma voluntária. Porém, a proposta é que, a partir de 2026, esses indicadores sejam apresentados por todas as empresas de capital aberto.

“A gente está trabalhando para trazer legitimidade e, por isso, a gente vai ouvir os parceiros privados. A gente acredita que vamos conseguir fazer isso em tempo, de tal maneira que em 2026 isso seja obrigatório”, disse.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, destacou que o país será pioneiro em estabelecer indicadores que permitam aos investidores e à sociedade comparar as empresas pelo ponto de vista da sustentabilidade. “É uma coisa muito nova, tanto é que o Brasil é o primeiro país signatário dessas regras, embora o G20 tenha validado essa instituição”, disse.

Na avaliação do ministro, uma maior transparência em relação a forma de produção das empresas tende a agregar valor aos produtos brasileiros. “O mundo não tem energia limpa, essa que é a verdade. A Ásia é uma indústria a céu aberto, né? Maior vai ser o nosso mercado potencial internacional quanto mais nós demonstrarmos o nosso compromisso ambiental. Isso para mercados relevantes, como o dos Estados Unidos e Europa, vai ser, cada vez, mais fundamental. Então, o Brasil tem que sair na frente mesmo”, disse.

Fonte: Agência Brasil.

VER MAIS

VER MAIS

// try { // document.addEventListener("DOMContentLoaded", function() { // var bottomAds = document.getElementById("bottom-adsF");// console.log('bntt', bottomAds)// var toggleButton = document.createElement("span");// toggleButton.classList.add("toggle-view"); // toggleButton.onclick = toggleBanner; // Make sure to pass the function reference, not call it// var icon = document.createElement("i"); // icon.classList.add("fas", "fa-chevron-up"); // toggleButton.appendChild(icon); // // toggleButton.innerText = "ocultar/exibira"// bottomAds.appendChild(toggleButton);// let isVisible = false; // function toggleBanner (){ // isVisible = !isVisible; // if(isVisible){ // bottomAds.style.bottom = "0"; // }else{ // bottomAds.style.bottom = "-121px"; // } // } // toggleBanner ();// }); // } catch (error) { // console.error('Erro ao executar o código:', error); // }