Ministro e presidente do Incra viajam às pressas ao Pará para apurar incêndio em assentamento do MST

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira, e o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), César Aldrighi, viajam na tarde deste domingo, 10, para Parauapebas, no sudeste do Pará, para apurar o incêndio em um assentamento do MST, na comunidade Palmares II.

A pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro e o presidente do Incra acompanharão presencialmente as investigações e a situação das famílias vítimas do incêndio que deixou ao menos nove pessoas mortas e oito feridas na madrugada deste domingo, 10.

CONTINUE LENDO...

“A pedido do presidente Lula, o ministro Paulo Teixeira, e o presidente do Incra, César Aldrighi, vão hoje para o estado, acompanhar o caso de perto e levar todo o apoio do Governo Federal às famílias das vítimas dessa tragédia”, diz o Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, em nota.

O incêndio teria sido causado por causa de curto-circuito na fiação de internet no acampamento. “A instalação de uma rede de Internet resultou em uma tragédia, deixando nove pessoas mortas. Após um erro na operação da instalação, uma descarga de energia de alta tensão atingiu os barracos provocando um incêndio. Dentre as vitimas estão 6 acampados e 3 trabalhadores da empresa G5 de Internet. Neste momento de dor precisamos de toda solidariedade com os familiares e acampados, em memória das 09 vítimas da tragédia no acampamento Terra e Liberdade”, destaca comunicado no MST compartilhado nas redes.

Entenda o caso

Na noite do último sábado, 9, nove pessoas morreram durante um incêndio que ocorreu em um assentamento de integrantes do MST, no município de Parauapebas, sudeste paraense. Segundo informações, o fogo aconteceu de forma acidental na comunidade Palmares II. Ainda de acordo com informações preliminares, o fogo teria começado após a instalação de cabos de internet na região. A suspeita inicial é de que o material tenha sido instalado de forma inadequada.

VER MAIS

VER MAIS