Foto: Enrico Marone/Rare Brasil
Foto: Enrico Marone/Rare Brasil

Campanha Julho Verde celebra os manguezais da Amazônia e alerta para conservação do ecossistema

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O litoral dos estados do Amapá, Pará e Maranhão abriga 75% das florestas de mangue do Brasil, de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente (2018). A área é a maior e mais preservada faixa contínua de manguezais do mundo: são cerca de 7.500 km² deste ecossistema que representa o berçário da vida marinha, com milhares de espécies de aves, peixes, crustáceos, moluscos e mamíferos. Para celebrar este ambiente onde só no Pará vivem também mais de 18 mil famílias de extrativistas, a Campanha Julho Verde será iniciada nesta sexta-feira, 1º, a partir das 10h, com lançamento de vídeo animação e cartilha na Comunidade Caju-Una, em Soure, com presença das lideranças do maretório paraense.

Realizada pelas 12 Associações de Usuários das Reservas Extrativistas do Pará, com articulação da ONG Rare, a campanha é alusiva ao Dia Mundial de Proteção dos Manguezais, celebrado em 26 de julho, mobilizando também parceiros estratégicos como a Comissão Nacional para o Fortalecimento das Reservas Extrativistas Marinhas e dos Povos Costeiros e Marinhos (CONFREM), Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio), entre outros parceiros estaduais.

CONTINUE LENDO...

A campanha Julho Verde promove diversas atividades com o objetivo de alertar para a importância dos manguezais e das comunidades guardiãs desse maretório. Além disso, a iniciativa estimula as comunidades a participarem da gestão das unidades de conservação, as chamadas Reservas Extrativistas Marinhas, áreas que asseguram a proteção das áreas de mangue. A campanha também convida a sociedade a valorizar os manguezais da Amazônia.

De acordo com Bruna Martins, gerente de implementação do Programa Pesca para Sempre, da Rare, o manguezal “sustenta a vida de famílias ao longo da costa amazônica, contribuindo com a segurança alimentar e geração de renda das comunidades extrativistas, que realizam a pesca de peixes, caranguejo, camarão, ostra entre outros recursos, promovendo assim a manutenção do seu modo de vida. Além disso, os mangues também são fonte de inspiração para as manifestações da cultura popular, como o carimbó”, explica.

Programação

Ao longo de julho, diversas atividades serão realizadas como o lançamento do “Manifesto do Maretório”, documento no qual o signatário se compromete a realizar mudanças de comportamento em prol da conservação do ecossistema do manguezal; a “Marezada verde virtual”, com transmissão de eventos online informativos e discussão sobre a conservação, além de atividades culturais realizadas pelas Associações das Reservas Extrativistas Marinhas ao longo da costa do Pará; e para culminar, no dia 26/07, será feita uma ação em vídeo mapping no Solar da Beira, em Belém, com uma grande projeção artística ao ar livre.

VER MAIS

VER MAIS