Reprodução/Polícia Civil
Reprodução/Polícia Civil

Jovem é preso por matar pai, mãe e irmã para pagar dívida de R$ 2,4 mil com agiota

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

No último domingo, 17, um jovem de 23 anos foi preso por envolvimento no assassinato de seu pai, mãe e irmã, com golpes de faca e marreta para pagar uma dívida de R$ 2,4 mil com um agiota. Os homicídios ocorreram no município de Carpina, em Pernambuco, e os corpos foram encontrados carbonizados dentro de um carro, no município vizinho, Nazaré da Mata.

De acordo com a polícia, o jovem identificado como Thallys Emanoel Medeiros da Cunha confessou que teria contratado uma pessoa para simular um assalto à casa da família. Ele pretendia vender os bens para pagar uma dívida com o agiota. Como parte da ação, ele chegou à casa com outros quatro homens encapuzados. Thallys e um dos criminosos levaram o pai, Manoel Ferreira da Cunha, 49, para um quarto. No entanto, Manoel reagiu e levou uma marretada na cabeça e várias facadas.

CONTINUE LENDO...


A mãe Marcilene Maria Medeiros da Cunha, de 56 anos, e e irmã Thaynara Emanuelly Medeiros da Cunha, de 18, foram mortas pelos outros três criminosos na garagem da casa. Os vizinhos afirmam que não houve som de tiros. A ´plícia cita que após o crime, os quatro envolvidos colocaram os corpos no carro da família e dirigiram até o engenho na cidade vizinha, onde incendiaram o veículo.

O advogado de Thallys, Clevison Bezerra, disse que não foi o rapaz que executou a família, mas que “uma reação de Manoel Ferreira que desencadeou o triplo homicídio”. Thallys vai responder pelo crime de latrocínio, roubo seguido de morte. Ontem, 19, juiz Marcelo Marques Cabral converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva. Ele afirma que “O crime supostamente cometido pelo preso assim o foi com violência extrema contra a pessoa humana, aliás, contra os dois ascendentes e uma irmã do ora autuado, o que não pode ser minimizado neste momento”, defendeu.

Com informações do Metrópoles

VER MAIS

VER MAIS