Reprodução/TV Globo
Reprodução/TV Globo

Em entrevista, Cid Moreira rejeita reconciliação com filhos: ‘Fui jogado no lixo por causa de dinheiro’

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Após os filhos novamente entrarem com uma ação judicial para interditar o pai. O apresentador Cid Moreira revelou em uma entrevista para a Quem, que está decidido e que não quer uma reconciliação com Rodrigo e Roger Moreira, que alegaram que o pai é mantido refém pela atual companheira, a jornalista Fátima Sampaio, de 58 anos.

“Não tenho interesse em me aproximar. Fui desonrado. Estou assistindo um seriado chamado Resurrection, que fala muito de honra, de palavra. Eu fui jogado no lixo por causa de dinheiro. E foi a segunda vez que eles tentaram. A primeira, eles fizeram uma ondinha e tal, mas na segunda, como a internet cresceu, pegou fogo. Mas foi tudo sem prova e o pessoal, por audiência, foi abrindo as portas”, declara.

CONTINUE LENDO...

Cid reforça que sempre arcou com seus compromissos. “Eu trabalho muito até hoje. Nunca fui processado por deixar de pagar alguma coisa na minha vida inteira, para ficarem falando bobagens por aí. Eles queriam me interditar e cuidar de mim. Quem cuida de mim é a Fátima e muito bem, como vocês estão vendo. Foi um preço alto que paguei pela fama. Mas o Roger agiu mal desde a primeira vez que tentou me desonrar”, conta.

O locutor explica como conheceu o filho adotivo. “A história é o seguinte. Esse homem (O Roger) é sobrinho da minha ex-mulher. Os pais dele ainda estão vivos. Então, ele era um garoto inteligente, mexia em som. Quando comecei a gravar a Bíblia foi com ele, mas sou um cara exigente e quando não gosto de uma gravação, eu repito mil vezes, se for necessário. Eu queria gravar e o cara ficava de má vontade. Agradeci e dispensei. Não quer trabalhar aqui, vai trabalhar com a ex no salão de beleza dela”, justifica.

Por fim, o ex-âncora do Jornal Nacional disse que sua ex-mulher, Ulhiana Naumtchyk, o incentivou a adotar Roger. “Influenciado por ela, acabei adotando ele por gratidão, porque ele estava trabalhando comigo. Sei lá porque fiz isso. Foi a maior besteira que eu fiz na minha vida. Esse cara vai para mídia falar que eu estava mal-alimentado. É um absurdo total, porque nem na minha época de infância que meu pai era pobre, nós passamos fome. Muita gente acreditou nisso e entrei em um pesadelo. Mas a verdade é uma só. Entraram na justiça e perderam”, conclui.

Com informações da Quem

VER MAIS

VER MAIS