Freepik
Freepik

Varíola dos Macacos: Ministério da Saúde recomenda uso de máscara para grávidas e mulheres que amamentam

COMPARTILHAR:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

O Ministério da Saúde recomenda que gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias pós parto) e mulheres que ainda amamentam usem máscara em locais com possíveis pacientes e camisinha em todos os tipos de relação sexual para prevenir a varíola dos macacos, também chamada de monkeypox. As orientações constam em nota técnica publicada ontem, 1º de agosto.

O ministério ainda orienta que procure atendimento médico caso apresente qualquer sintoma suspeito pois ainda não há protocolo de tratamento com antivirais para essas mulheres. Além disso, a amamentação precisa ser avaliada a cada caso.

CONTINUE LENDO...

A pasta também orienta que o grupo mantenha distanciamento de pessoas que apresentem sintomas da infecção. Também é preciso verificar se a pessoa com quem se relaciona sexual tem lesões genitais.

Para grávidas assintomáticas após exposição ao vírus, a recomendação é suspender o monitoramento em caso de teste negativo. O isolamento domiciliar deve durar 21 dias em caso de teste positivo. Casos suspeitos em gestantes devem ser isolados mesmo em caso de teste negativo. Se diagnosticadas, devem ser isoladas em casa (quadro leve) ou ser internadas (quadros graves).

O ministério ressalva que faltam dados sobre varíola dos macacos em grávidas, mas aponta o risco de aborto espontâneo (que ocorre até a 22ª semana de gestação ou com feto de até 500g) ou de óbito fetal (da 23ª semana antes do parto). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há chances de contágio materno-fetal, a partir da passagem placentária.

Na população geral, a pasta alerta que a transmissão pode ocorrer de animais para humanos ou entre pessoas. Nesse último caso, o contágio se dá pelo contato direto, sobretudo com pessoas que apresentam lesões. Outra possibilidade está na transmissão respiratória por meio de gotículas ou de aerosóis.

A OMS estabelece diferentes riscos para a doença: leve (menos de 25 lesões de pele), moderada (de 25 a 99), grave (de 100 a 250) e crítico (mais de 250). Gestantes devem ter a temperatura, a frequência cardíaca e a pressão arterial monitoradas de três a quatro vezes por dia.

Os principais sintomas da varíola dos macacos são febre, sudorese (suor), dor no corpo e de cabeça e fadiga. Logo depois, começam a erupção cutânea, comumente no rosto e nas extremidades, como mãos. O quadro evolui para pápulas, vesículas, pústulas e, posteriormente, crostas.

Com informações de O Globo

VER MAIS

VER MAIS